RCB/TuneIn
segunda, 06 fev 2023
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
L√ČRIAS, AS RENDAS QUE A FESTA REATIVOU
Rádio Cova da Beira
Presidente da União de freguesias de Póvoa de Atalaia e Atalaia do Campo satisfeito com a adesão aos cursos de formação em Lérias, as rendas típicas de Póvoa de Atalaia que a festa, criada em 2019, veio promover e retirar do anonimato.
Por Paula Brito Batista em 24 d Jan d 2023

Segundo Rui Domingues, já eram poucas as mulheres que faziam estas rendas.

 

“Já só havia ali algumas idosas que faziam as rendas, mas, entretanto, criou-se ali um processo de formação. A primeira, acabou em outubro do ano passado e agora vai haver uma nova. No final deste mês, começa uma nova vaga de formação para quem já teve e para quem quer aprender. Por acaso, ficámos muito contentes porque apareceram umas quantas pessoas para aprender, da freguesia e de fora dela.” 

 

Ainda não tem data marcada, mas este ano, Póvoa de Atalaia vai acolher mais uma edição da feira das Lérias. O evento, criado para divulgar e promover esta renda, regressa este ano, “com os desfiles mais organizados, com um concurso de moda em que são convidadas as escolas das universidades para competirem, será essa a ideia.”  

 

E se a feira das Lérias já encontrou o caminho que a diferencia de todas as festas do concelho, a feira dos enchidos, ainda precisa de um toque de inovação. O evento, que celebra uma das atividades económicas mais importantes de Atalaia do Campo, está de regresso este ano.  

 

“Em princípio vai manter-se nos mesmos moldes, mas precisava de alguma inovação. Uma coisa que nos diferenciasse das outras feiras que há no concelho.” 

 

Quanto à festa das Papas, tradição secular de Póvoa de Atalaia, que regressou em 2023, depois de cancelada durante dois anos devido à pandemia, teve de ser a junta de freguesia a reativa-la, com um grupo de voluntários, para não se perder a tradição. 

 

"Este ano teve de ser a junta de freguesia a dar esse apoio, esperemos que tenha sido por causa da pandemia. A festa era para ter sido feita em 2021, não houve, em 2022, também não. E agora teve de ser a junta de freguesia com uns quantos voluntários, a quem agradecemos, para conseguirmos cumprir a tradição.” 

 

O autarca acredita que tenha sido a pandemia a responsável pela desmobilização e espera que, no próximo ano, a organização da festa regresse à normalidade. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2023 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados