RCB/TuneIn
quarta, 08 fev 2023
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
JORGE GASPAR RECANDITO A PROVEDOR DA SCMF
Rádio Cova da Beira
Jorge Gaspar recandidata-se ao cargo de provedor da Santa Casa da Miseric√≥rdia do Fund√£o (SCMF), nas elei√ß√Ķes que est√£o marcadas para o pr√≥ximo dia 18 de dezembro. Terminar o projeto que iniciou h√° 13 anos, √© o objetivo do provedor da Miseric√≥rdia fundanense.
Por Paula Brito Batista em 29 d Nov d 2022

Em entrevista ao programa “Flagrante Direto” da RCB, Jorge Gaspar explicou os motivos da recandidatura.

 

“Porque o meu projeto não está findo. E não está findo porque foram 13 anos de muitas dificuldades, não previsíveis na altura, que levaram a atrasos, e portanto, penso que só com mais quatro anos é que conseguirei atingir os objetivos a que me propus quando me candidatei, a primeira vez, a provedor da Misericórdia do Fundão.”

 

Jorge Gaspar recorda que herdou uma misericórdia com uma situação financeira debilitada, a necessitar de renovação, qualidade, requalificação de infraestruturas e aumento de valências.  Ao longo dos 13 anos em que presidiu à mesa administrativa foram investidos “mais de 10 milhões de euros” na requalificação e construção de edifícios.

 

O aumento das valências foi acompanhado de um aumento de funcionários que passaram de 287, em 2009, para 340 na atualidade, mais 20 prestadores de serviços.

 

O ativo da instituição aumentou de 8 para 15 milhões de euros e o passivo, situa-se atualmente em cerca de 8 milhões “e se este ano for pago o primeiro reembolso, relativo ao programa PARES, do Hotel Príncipe da Beira, será reduzido, pelo menos, ainda este ano, em cerca de um milhão de euros”.

 

Chegar ao fim do mandato com os edifícios todos requalificados e com as contas equilibradas é o grande objetivo de Jorge Gaspar, para os próximos quatro anos.

 

“Quero deixar a Santa Casa com todos os equipamentos requalificados e com as suas contas devidamente equilibradas, com um passivo, se não for zero, um passivo muito baixo, para que quem tome conta do barco a seguir o possa fazer com mais tranquilidade do que aquela que eu tenho tido ao longo destes 13 anos.”

 

A crise financeira, a pandemia e a guerra foram algumas das dificuldades encontradas no caminho e que continuam a ter efeitos na instituição. É o caso da obra de requalificação do velho Lar da Misericórdia, aprovada pelo programa Pares, cujo preço disparou para o dobro. O concurso público já só vai ser lançado no início próximo ano, porque “devido a esta alteração, ao nível dos preços, tudo está a ser refeito”.

 

Mais adiantadas estão as obras da ERPI Hotel Príncipe da Beira, “a previsão é terminar a obra em dois meses”, adianta Jorge Gaspar, sobre a obra que vai aumentar para 104 o número de camas desta Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI).

 

Se for reeleito no cargo, há um novo projeto para concretizar na instituição que acaba de ser aprovado, no âmbito do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), a criação 20 residências temporárias (14 T0, dois T1 e quatro T2) junto ao hospital do Fundão, numa casa em ruínas, conhecida pela casa das conchas, que é propriedade da instituição.

 

“Já foi aprovada, já assinámos os contratos e estamos agora a trabalhar no sentido de lançarmos os concursos”. O projeto, que é uma nova resposta social da Misericórdia, tem uma subvenção financeira de 1,5 milhões de euros e representa um investimento de 200 mil euros, para a instituição. O objetivo das residências é acolherem pessoas, em situação precária, que necessitem temporariamente de habitação.

 

Jorge Gaspar pretende ainda, se a candidatura for aprovada, implementar o projeto das Residência Colaborativas, no Bairro de Santa Isabel e, se houver enquadramento no PRR, apresentar uma candidatura para dotar a Academia de Música e Dança do Fundão de novas instalações. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2023 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados