RCB/TuneIn
Domingo, 01 Ago 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
ADACB APRESENTA REIVINDICAÇÕES
Rádio Cova da Beira
A associação distrital de agricultores de Castelo Branco exige ao ministério da tutela o prolongamento do fim das moratórias e a criação de uma linha de crédito específica para a agricultura, com juros bonificados tendo em vista superar dificuldades de tesouraria e de fundo de maneio.
Por Nuno Miguel em 20 de Jul de 2021
De acordo com a associação “por influência do Covid-19, nesta campanha houve um aumento brutal dos preços dos factores de produção. Com o encerramento da restauração que absorve muita produção agrícola local, a situação veio agravar as dificuldades de comercialização e consequentemente os agricultores viram os seus rendimentos a baixar. Os custos das rações dispararam com o aumento do preço dos cereais nos mercados e mantém-se elevadas as despesas com a electricidade, os combustíveis, os fertilizantes e a sanidade animal”.
Uma situação que, afirma a associação distrital de agricultores “está a criar problemas de solvabilidade e liquidez das explorações agrícolas” sublinhando que “nos últimos dez anos, de acordo com os censos agrícolas promovidos pelo INE registaram-se menos 15.500 explorações” e por isso “sem mais demoras, o ministério da agricultura e o governo têm de adotar medidas para combater, de forma eficaz, a especulação com os preços dos fertilizantes, combustíveis, das rações e de outros factores de produção”.
O aumento dos benefícios do gasóleo verde, a reposição da electricidade verde, a revisão dos projectos aprovados de forma a ajustar os orçamentos ao aumento real do custo dos factores de produção e ainda a concretização das medidas que estão previstas no âmbito do estatuto da agricultura familiar que criem condições mais favoráveis aos agricultores para continuarem a produzir são outras das reivindicações apresentadas. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados