RCB/TuneIn
Domingo, 13 Jun 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
15 ANOS DE ESCOLHAS NO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
A aprovação da oitava geração do programa Escolhas é sinal de reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido no Fundão nos últimos 15 anos em prol da igualdade. Deslocalizar o projeto a partir da rua do Registo, junto ao largo das 8 Bicas, é o principal objetivo da oitava geração do projeto Matriz, no Fundão. Apesar de pronta há mais de um ano, a nova casa, devido ao confinamento, só agora começa a ganhar vida.
Por Paula Brito em 05 de May de 2021

Outras da categoria:

Segundo a coordenadora do projeto, Virgínia Batista, o grande desafio da oitava geração do programa Escolhas é o da deslocalização.

 

“Esta oitava geração traz para nós o desafio de deslocarmos o Matriz e, portanto, as atividades vão ser descentralizadas, vamos ter um espaço no Bairro da Estação, nós queremos trabalhar a questão multicultural, reforçar a integração das minorias, neste caso, a comunidade cigana e, portanto, a oitava geração vai ser desafiante, acho que esse vai ser o desafio”.

 

Segundo Virgínia Batista o projeto pretende desenvolver atividades do cimo ao fundo da cidade, isto é, das 8 Bicas até ao Bairro de Sto. António.

 

“As atividades que estão previstas para este espaço, vão também acontecer lá, a equipa vai-se deslocar entre estes dois espaços para que, de facto, consigamos estar de forma próxima e regular com a comunidade residente naquele bairro. Vamos reforçar muito as atividades de apoio ao estudo lá, porque temos sentido que as crianças faltam muito à escola e têm dificuldade na elaboração dos trabalhos de casa, queremos começar por aí, e depois trabalhar muito a parte da dinamização comunitária, o espaço tem um quintal fantástico, um contentor, que vamos transformar num laboratório de ideias, é assim que olhamos para os espaços. E queremos criar uma dinâmica incrível de aproximação com a comunidade.”

 

O projeto Matriz está ainda disponível para alargar a intervenção a outros locais.

 

“Nós estamos sempre disponíveis para ir às escolas, estamos também muito disponíveis, e isso já está a acontecer com o centro para as migrações, para desenvolvermos também atividades no seminário, vamos tentar estar em vários sítios para trabalhar esta questão das relações, da proximidade, da confiança, e depois eles que participem nas atividades de forma natural, espontânea e regular.”

 

Com a escola profissional do Fundão esse trabalho é mais constante devido ao elevado número de alunos deslocalizados daquele estabelecimento de ensino. Com estes estudantes o Matriz trabalha diversas competências, nomeadamente com o curso profissional de comércio.

 

“O Matriz sempre esteve disponível para trabalhar esta questão mais criativa, do vitrinismo, do merchandising, do marketing, e é nesse sentido que eles estão aqui, sempre com o propósito de participar nestas áreas que lhe vão ser úteis para o seu percurso profissional.”

 

Olhando para os últimos 15 anos em jeito de balanço, Virgínia Batista diz que o projeto Matriz trouxe igualdade ao Fundão.

 

“Eu acho que trouxe igualdade, acho que nós estamos sempre abertos a todos, e nós sentimos que quando chegam grupos com dificuldades, ou que se sintam mais à parte, eles aqui acabam por encontrar um porto de abrigo que os ajuda depois a incluir-se na sociedade.”

 

Virgínia Batista, em declarações à RCB, no final da visita que a Alta Comissária para a igualdade realizou à sede do projeto Matriz. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados