RCB/TuneIn
Quarta, 12 Mai 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
ESART PODE SOFRER NOVOS ATRASOS
Carlos Maia espera que o minist?rio da educa??o n?o venha a prejudicar o instituto polit?cnico de Castelo Branco. Em causa est? o an?ncio de que o governo vai redistribuir as verbas comunit?rias de projectos que ainda n?o tem qualquer execu??o f?sica, como ? o caso da escola superior de artes aplicadas do IPCB.
Por Nuno Miguel em 29 de Mar de 2012

Carlos Maia refere que "o concurso público para a execução da obra foi lançado assim que houve luz verde por parte do estado e por isso estou convicto de que o IPCB não vai ser abragido por essa medida; o nosso trabalho de casa estava feito e a obra só não foi lançada antes porque teve de haver um despacho que autorizava a câmara de Castelo Branco a assegurar a componente nacional de financiamento da obra; nos últimos dias já estive em várias reuniões e estou plenamente convencido de que a construção da escola não está em risco".

Declarações do presidente do IPCB à margem dum encontro nacional sobre a implementação do processo de Bolonha que decorreu em Castelo Branco e onde Carlos Maia manifestou o seu lamento pelo facto de nenhum responsável governativo ter marcado presença neste encontro "foi-nos transmitido que pelo menos o secretário de estado do ensino superior estaria presente mas à ultima hora acabou por desmarcar; penso que é uma situação de falta de consideração por todo este trabalho que as instituições de ensino superior desenvolveram".

Para além da implementação do processo de Bolonha, outro dos temas que esteve em cima da mesa foi a reorganização da rede de ensino superior. Carlos Maia concorda que "há cursos a mais" nas universidades e politécnicos Portugueses mas refere que "esse processo não pode ser feito à custa de extinguir ou agregar instituições de ensino superior no interior".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados