RCB/TuneIn
Terça, 15 Jun 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CAPINHA COM NOVO LAR
Passados quase cinco anos, a obra, com custos superiores a 200 mil euros, est? pronta. Um processo atribulado que por diversas vezes correu o risco de n?o ser efectuado. A persist?ncia do p?roco da Capinha, da comiss?o administrativa da santa casa da miseric?rdia do Fund?o, que teve que avalizar um empr?stimo, da c?mara municipal do Fund?o, da junta de freguesia e da popula??o venceu

António Gama comenta processo do lar da Capinha
Por Paulo Pinheiro em 10 de Nov de 2008

O lar, situado à entrada da freguesia, foi baptizado de Lar de São Sebastião e tem capacidade para 12 utentes. Mais de 200 mil euros de investimento comparticipado em 90% pelo programa POFDS, 10% pela câmara municipal do Fundão e por muitos donativos, alguns avultados, de residentes na aldeia. A obra da responsabilidade da santa casa da misericórdia do Fundão, foi um dos dois compromissos encontrados pelos actuais responsáveis pela instituição (Capinha e Aldeia de Joanes). Foi necessário que os elementos avalizassem um empréstimo para pagar, dentro dos prazos, a componente nacional.

O sonho está concretizado mas António Gama, pároco da Capinha, lembrou o calvário que o processo enfrentou “ umas vezes porque não havia possibilidade de cumprir prazos, chegámos a entregar directamente o processo em Coimbra, e também porque havia gente que não queria que isto fosse por diante”, refere o pároco sem adiantar nomes. A agravar a situação esteve o facto do primeiro empreiteiro, a quem a obra foi adjudicada, ter falido mas “o homem quer e a obra aparece e as entidades e pessoas que não queiram que o lar fosse uma realidade, o esquecimento tomará conta delas”, disse Rogério Palmeiro, presidente da junta de freguesia da Capinha.

As 12 camas que o novo lar dispõe minimizam um dos problemas mais graves da freguesia, o envelhecimento da população “ é uma terra de idosos que estão entregues a si mesmos e esta é a resposta necessária para a maior parte da população” recordou António Gama. De acordo com o presidente da câmara municipal do Fundão, este é mais um lar que se integra na rede que está a ser criada no concelho do Fundão para cuidar dos idosos “ estão neste momento a ser construídos dez lares, porque queremos, no concelho, acabar com as listas de espera dos idosos que querem aceder a estas instituições”.

O dia foi ainda aproveitado para lançar a primeira pedra da casa mortuária da freguesia. O equipamento social colectivo, com custos superiores a 40 mil euros, e que deve estar concluído num curto espaço de tempo, garantiu o presidente da junta.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados