RCB/TuneIn
Segunda, 17 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
CDALCAINS-0 ADEPENAMACORENSE-0
Num belíssimo espectáculo de futebol, Alcains e Penamacorense demonstraram grande qualidade técnica, mas pouca clarividência na hora do remate, o que acabaria por ditar um justo empate.
Por Jo√£o Perquilhas em 21 de Mar de 2011

Com um inicio forte, os pupilos de Andriaça pareceram surpreender a turma de João Laia. Ao 3º minuto já Luís Graça ameaçava de livre, obrigando André Raposo a grande defesa, que culminaria com a recarga de cabeça, por parte de Chiquinho, à trave.

Os donos do terreno lidavam mal com a velocidade imposta pelo líder da Liga Covifil e passaram alguns minutos sem capacidade de reacção, mas depois equilibraram e passaram mesmo a ser mais audazes no ataque.

Ainda antes de se atingir o 10º minuto Daniel Fernandes deu o mote com um remate cruzado que Oleh defendeu a punhos, e a partir daqui o jogo passou a ser de equilíbrios, com parada e resposta, mas o Alcains, rápido nas transições, era uma ameaça constante às redes visitantes.

Em cima da meia hora Graça, com um passe soberbo serviu Vasco, que teve o golo nos pés mas acabou por desperdiçar rematando torto. Foi a primeira grande perdida do encontro.

Contudo, os da casa não se atemorizavam e respondiam com um futebol vistoso, bem trabalhado e até acutilante. Explorando bem as faixas laterais acercavam-se assiduamente da área contrária, e numa dessas ocasiões, Filipe Gomes também acabaria por desperdiçar, efectuando um remate para as nuvens, depois de ganhar posição privilegiada para alvejar com êxito as redes de Oleh.

Ainda antes do intervalo seria o brasileiro Manoel a ter nova chance de golo, mas Miguel Rebelo acabaria por interceptar o esférico que havia sido picado sobre o seu guardião.

Chegava o descanso com a igualdade a zero, e para a segunda metade a toada de parada e resposta não se alteraria, pese embora a menor velocidade no jogo verificada.

Pouco depois de ultrapassada a hora de jogo, Vasco, de livre directo, levou a bola à base do poste da baliza de André Raposo com este batido, e pouco depois seria de novo Luís Graça a efectuar um passe fantástico para Manoel cruzar rasteiro desde a linha de fundo, levando o esférico a percorrer toda a pequena área sem que ninguém surgisse para a emenda.

Nesta fase do jogo o Penamacor estava mais forte mas os donos do terreno estavam à espreita e Daniel Fernandes demonstrou-o quando, com um forte remate aos 67`, obrigou o guardião Oleh a grande defesa para canto.

Com o aproximar do final do encontro a emoção continuava alta e os pupilos de Andriaça estariam de novo perto do golo ao minuto 74, mas o pentear de bola por parte do central Sérgio, encontrou na trave um obstáculo intransponível.

No minuto seguinte Hélder Rodrigues entrava em cena após longa lesão, e logo criou desequilíbrios na defensiva penamacorense. Contudo, o infortúnio que parece segui-lo, não o deixou estar muito tempo em campo… Ao ser solicitado em profundidade, Hélder Rodrigues isolou-se e efectuou um chapéu que não resultaria em golo mas antes na sua saída prematura do jogo, visto que chocou violentamente com o guarda-redes contrário que entretanto tinha saído da sua área. Foi um choque involuntário que deixaria os donos do terreno reduzidos a dez unidades, visto que já tinham sido efectuadas as substituições autorizadas.

Daí até final nenhuma das balizas voltou a passar por sobressaltos de maior, com o nulo a manter-se até ao apito final do árbitro Carlos Silva, que liderou um trio com muita personalidade e acerto nas decisões.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados