RCB/TuneIn
domingo, 29 jan 2023
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
BANDA DE CORTES APAGA 123 VELAS
Rádio Cova da Beira
A Banda Filarmónica de Cortes do Meio assinala, no próximo domingo, 123 anos de vida. Fundada em 1899, a Filarmónica Recreativa Cortense teve apenas um período de interrupção, na década de 70, devido à emigração. Constituída por 32 elementos, dos 12 aos 70 anos, a banda tem motivos para celebrar mais um aniversário.
Por Paula Brito Batista em 09 de Nov de 2022

O segredo da longevidade, segundo o presidente da direção, Alexandre Barata, “parte muito da carolice dos dirigentes e músicos que a compõem e dos amigos que nos vão ajudando quando é necessário.”

 

Em dia de aniversário, para além da massa humana, “de que tanto necessitamos numa freguesia rural como Cortes do Meio”, uma das prendas que a instituição gostaria de receber era a conclusão das obras da sede, que já se arrastam há algum tempo.

 

“Ela começou em 2004 e concretizou-se em três fases: a primeira, foi a construção de todo o grosso da estrutura e acabamento do primeiro piso, a segunda fase foi o acabamento do segundo piso, que é onde estamos a funcionar atualmente, com a sala de ensaios, bar e escola de música e a última parte é a administrativa, com a sala de reuniões e passará para lá, depois, a escola de música.”

 

Não fora a pandemia e já poderia ter sido a prenda deste aniversário. Mas os dois anos de paragem não permitiram realizar as receitas necessárias para a manutenção da banda e a conclusão das obras.

 

Este ano, já foi possível retomar alguma normalidade. “Não nos podemos queixar, tivemos atividades, festas, romarias e outras atividades em que estivemos presentes e já tivemos contactos para 2023, para festas religiosas, que é o nosso forte.”

 

As bandas filarmónicas continuam a ser muito procuradas, sobretudo, para festas e romarias.

 

“É como se costuma dizer, não há festa sem banda, onde não haja uma banda, não há festa, no acompanhamento de uma procissão, de uma eucaristia, de uma arruada, se não houver essa música na rua, não é festa.”  

 

Segundo Alexandre Barata, a Banda Filarmónica de Cortes tem, também ao nível do repertório, sabido adaptar-se, graças ao maestro que a dirige, “o nosso repertório tem vindo a ser melhorado, ainda bem, para acompanhar os tempos, já é um pouco mais contemporâneo. Já não somos só uma banda de marchinhas de rua e de procissões, já temos peças elaboradas para concerto.”

 

Os 123 anos da Filarmónica Recreativa Cortense serão assinalados no próximo domingo com uma arruada, às 9h 30m, uma eucaristia dominical, às 10h, seguida de procissão com a imagem de Sta Cecília, padroeira dos músicos, acompanhada pela Banda aniversariante que, ao meio dia, vai proporcionar um momento musical a todos os presentes.

 

O almoço convívio encerra o dia de festa.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2023 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados