RCB/TuneIn
Quinta, 19 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SERTANENSE ADIA SUBIDA
Com o empate que se registou neste domingo, entre Sertanense e Unhais da Serra, a equipa da Sert? adiou a possibilidade de subir ? 2? divis?o, para a ?ltima e derradeira jornada desta fase final do campeonato nacional da 3? divis?o
Por José Joaquim Ribeiro em 02 de Jun de 2008

Neste jogo entre clubes do mesmo distrito, já se sabia que nenhum deles iria facilitar. Aliás, para que não viessem acusar quem quer que fosse, era importante que a verdade desportiva fosse preservada. Foi o que aconteceu  na Sertã. A equipa da casa necessitava de vencer, para ficar mais à vontade para o que resta da competição e o Unhais da Serra jogava apenas  para dignificar as camisolas e cumprir calendário.

 

A primeira parte do jogo foi sem grande história, visto ter sido jogada de forma lenta e sem grandes emoções juntos das balizas. Apenas de bola parada o esférico chegou com relativo perigo junto da baliza de Valezim e de Leo Flores. Foi uma primeira parte muito táctica e sem grandes atractivos futebolísticos, no entanto, pela negativa, os primeiros 45 minutos, tiveram duas situações que revelaram, de alguma forma, o nervosismo dos contendores. Aos 39 minutos Brito é expulso por dar uma pisadela em Toni e, um minuto depois, foi a vez de Cláudio ver a cartolina encarnada, por entrada dura sobre um adversário, que o árbitro considerou de agressão. Antes já se tinham verificado alguns desaguisados, que o árbitro controlou com a amostragem de cartões amarelos.

 

A segunda parte foi totalmente diferente. Foi diferente a postura do Sertanense, que, necessitando de ganhar o jogo, apostou tudo num futebol ofensivo e com grande intencionalidade e foi diferente a postura do Unhais. Esta,   por sentir a necessidade de jogar mais sobre a defensiva, empenhou-se no jogo com uma atitude de grande entreajuda e sacrifício.

 

A nova postura da equipa da casa fica a dever-se à alteração que Eduardo Húngaro introduziu na sua equipa, ao retirar o lateral esquerdo David Facuncho fazendo entrar o rapidíssimo e tecnicista Leandro.

 

Logo aos 2 minutos deste segundo período o Sertanense dispôs de uma boa ocasião para inaugurar o marcador. Foi Joca quem teve na cabeça essa possibilidade, acabando por rematar ao lado. Respondeu o Unhais com um lançamento longo para Edgar Carvalho, este ganha entre os centrais da equipa da casa mas depois já não teve forças para rematar com êxito.  Depois assistiu-se ao grande “ festival Valezim “, tendo Vicente como protagonista, no lado contrário. O avançado do Sertanense teve dois remates que levavam o selo de golo, mas o Grande Valezim a ambos se opôs com grande classe, num terceiro remate, do mesmo jogador a bola esbarra na barra. Foram cinco minutos de grande intensidade de futebol ofensivo do Sertanense.

 

Embora a pressão do Sertanense fosse sempre muito intensa, as oportunidades estiveram longe de acontecer, durante cerca de 15 minutos, mais concretamente entre os 60 e 75 minutos. Exactamente aos 75 mais dois lances com os mesmos protagonistas. Vicente remata forte e com boa direcção respondendo Valezim com uma defesa do outro mundo. Ainda dentro do mesmo minuto, Filipe Avelar ofereceu o golo a Vicente e este, que estava em óptima posição, falhou o remate, acabando a bola por ir para as mão do guardião de Unhais.

 

Provavelmente devido a este falhanço Eduardo Húngaro decidiu retirar do jogo o jogador que mais rematou e mais próximo esteve de poder dar a vitória à equipa da Sertã. Curiosamente, depois da saída de Vicente, o Sertanense apenas voltou a ter uma flagrante oportunidade para alvejar a baliza de Valezim, embora mantivesse uma grande pressão sobre o último reduto de Unhais. Foi aos 87 minutos, que se registaram três remates de rajada, com Zâmbia e Higor a não conseguirem introduzir a bola na baliza, com Valezim a voltar a impor-se na defesa da sua baliza, com muita classe.

  Em suma, o Sertanense, pelas grandes oportunidades que criou merecia ter conquistado os três pontos, negados por um super Valezim, um guarda-redes de grande categoria e pela postura dos jogadores do Unhais, que defenderam a sua baliza com uma grande entrega e sobretudo com muita dignidade.

 

O árbitro Paulo Brás, da Guarda, teve alguns problemas no jogo, muito por culpa dos jogadores que se revelaram muito nervosos e nem sempre com o fair-play que a circunstância exigia. Por não ter qualquer influência no resultado final, não podemos considerar a arbitragem negativa.

 

Este resultado não penaliza o Sertanense uma vez que, mesmo que tivesse ganho hoje tinha que empatar em Monsanto, no último jogo desta fase, visto o União da Serra e Monsanto terem vencido as suas partidas deste domingo


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados