RCB/TuneIn
quarta, 28 set 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÔŅĹTICA
DEPUTADA DO PCP VISITA SERRA DA ESTRELA
Rádio Cova da Beira
A deputada do Partido Comunista Portugu√™s (PCP) no Parlamento Europeu, Sandra Pereira, realiza, na pr√≥xima ter√ßa-feira, 16 de agosto, uma visita √†s zonas afetadas pelo grande inc√™ndio que deflagra na Serra da Estrela. O objetivo √© avaliar a situa√ß√£o e fundamentar a sua a√ß√£o nas institui√ß√Ķes e junto das popula√ß√Ķes.
Por Lara Inês Cardoso em 12 de Aug de 2022

Em comunicado, os secretariados das direções das organizações regionais de Castelo Branco e Guarda do PCP, expressam a sua “profunda preocupação” pelo desenvolvimento do incêndio que lavra há seis dias na Serra da Estrela e que está a afetar os concelhos da Covilhã, Manteigas, Guarda, Celorico da Beira e Gouveia.

 

Para o Partido Comunista, os incêndios que têm lavrado na região da Beira Interior e no país, “evidenciam a falta de reposta a questões estruturais que estão identificadas” e o da Serra da Estrela, em particular, “traz à evidência não apenas a falácia da responsabilização individual em que o Governo assentou toda a sua retórica este verão”, mas também a “falta de investimento na área da conservação da natureza”.

 

Os comunistas apontam para a “fragilidade” das estruturas públicas de gestão ambiental. “Numa recente reunião com da Direcção Regional do Centro do ICNF foi possível constatar os défices de pessoal em particular no quadro de pessoal operacional e nos sapadores bombeiros florestais. A falta de reforço das estruturas públicas, desde logo do ICNF, e da coordenação entre elas, continua a abrir caminho a que o ordenamento florestal e do território se faça de acordo com os interesses dos grupos económicos”, referem.  

 

O PCP alerta ainda para o facto das medidas decididas em consequência dos incêndios de 2017, ainda estarem por concluir, como o “cadastro florestal, a criação das equipas de sapadores florestais e a reconstituição do corpo de guardas florestais”, defendo também a necessidade de outras no sentido “de valorização do preço da madeira, o que impede a gestão activa da floresta, a promoção do livre associativismo dos pequenos proprietários e o impulso adequado aos agrupamentos de baldios”.

 

"Meios adequados e a coordenação necessária às forças de protecção civil, mas também a existência de um Comando Nacional de Bombeiros, que são o único agente de proteção civil que o não tem, e regimes especiais de protecção dos Bombeiros e trabalhadores das AHBV”, são algumas das reivindicações do Partido Comunista Português. 

 

Depois da visita da deputada europeia Sandra Pereira, na terça-feira, 16 de agosto, o PCP garante agir “com os objectivos imediatos de responder aos problemas estruturais, garantir apoios efectivos aos lesados, compensações para os rendimentos perdidos na área florestal, agrícola e pecuária, repor o potencial produtivo e meios de restabelecimento e protecção do património natural perdido”. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados