RCB/TuneIn
Segunda, 04 Jul 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
PRESERVAR A OBRA E A MEMÓRIA DE MARMELO E SILVA
Rádio Cova da Beira
Já passou mais de um século, desde do dia em que um dos vultos da cultura portuguesa nasceu na então aldeia do Paul (Covilhã), falamos de José Antunes Marmelo e Silva.
Por Paulo Pinheiro em 10 de May de 2022

José Marmelo e Silva estudou no seminário do Fundão e em escolas secundárias da Covilhã e de Castelo Branco. Frequentou as universidades de Coimbra e Lisboa, concluindo na Faculdade de Letras desta a licenciatura em Filologia Clássica, onde apresenta uma tese: "Um sonho de paz bimilenário: a poesia de Virgílio". Presta Serviço Militar em Mafra e na Madeira. Fixa residência em Espinho, onde integra a direção do Colégio São Luís, até 1960. Ingressa no ensino oficial onde leciona até 1982, ano da sua reforma. Morre a 11 de outubro de 1991, em Espinho.

Agraciado com a medalha de ouro desta cidade (1987) e com o grau de Comendador da Ordem do Mérito pela Presidência da República a 4 de fevereiro de 1989.[1] O seu nome foi atribuído à nova Biblioteca Municipal de Espinho em 2011, inaugurada a 5 de Maio desse ano, data do centenário do seu nascimento, bem como à Casa da Cultura José Marmelo e Silva, no Paul, Covilhã, inaugurada a 22 de outubro de 2011. Publicou uma dezena de livros desde 1932, com várias edições refundidas.

 

 

Preservar a obra e a memória

 

Para comemorar o 111º aniversário do nascimento e o 10º da Casa de Cultura de José Marmelo e Silva sedeada no Paul, teve lugar no domingo 8 de maio um descerramento de um retrato escultórico deste escritor paulense no 1º piso deste espaço cultural, antes um grupo de EPABI tomou conta do primeiro momento musical da tarde, o segundo a encerrar estava destinado ao Grupo de Danças e Cantares do Paul.

Depois já no auditório, tempo para um diálogo sobre a bibliografia de José Marmelo e Silva da responsabilidade da investigadora e docente Isa Vitória Severino uma estudiosa   da obra do homenageado.

O público que assistiu ao evento mostrou-se agradado com mais um momento marcante a da vida cultural da vila a par de muitos outros tal como referiu Nelson Marmelo e Silva, “na minha alocução fiz uma retrospetiva do que foram estes dez anos desta Casa da Cultura José Marmelo e Silva, onde foram homenageadas grandes figuras da cultura portuguesa e de outras áreas de intervenção na sociedade”. Desde de 2017 que esta casa pertence  à rede de bibliotecas da Camara Municipal da Covilhã, assim a  direção  é assumida pela autarquia covilhanense  que está a fazer um excelente trabalho na sua promoção”, assegurou o filho do escritor e curador  deste espaço cultural durante alguns anos.

Para Isa Severino foi uma tarde de emoções, partilha e conhecimento” manifestei desde logo o agrado com que recebi este convite para falar de um escritor que tem uma obra que me apaixona, até porque   descubro sempre aspetos novos e imagens muito complexas, mas atuais. Sou verdadeira uma apaixonada da bibliografia de José Marmelo e Silva”.

Também entusiasta da obra do homenageado, Vítor Pereira deixou também claro, “mais um importantíssimo momento cultural a ocorrer nesta vila do Paul logo no concelho da Covilhã, sobre esta figura ímpar da cultura portuguesa, que foi Jose Marmelo e Silva. É fundamental preservar a obra e a memória deste escritor”, rematou o edil covilhanense.

 

 

De: João Cunha 

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados