RCB/TuneIn
Terça, 18 Jan 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PENAMACOR: PRESIDENTE DA CÂMARA COMEÇOU A SER JULGADO.
Rádio Cova da Beira
O presidente da câmara municipal de Penamacor, o ex vice-presidente da autarquia e o administrador da empresa “Ano-Sistemas de Informação e Serviços” começaram, esta quinta-feira, a ser julgados, no Tribunal de Castelo Branco.
Por Paulo Pinheiro em 02 de Dec de 2021

O presidente da câmara municipal de Penamacor, António Beites, e o então vice-presidente, no anterior mandato, Manuel Joaquim, são acusados pelo Ministério Público de crime de "recebimento indevido de vantagem", por terem participado numa viagem à Turquia, em abril de 2015, que foi paga pela empresa "Ano - Sistemas de Informação e Serviços". 

Os dois autarcas integraram uma comitiva de vários autarcas do país e da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, que se deslocou a Istambul, em abril de 2015, a convite da empresa ANO-Sistemas de Informática e Serviços, Lda. e com a qual o município viria a estabelecer relações comerciais, entre 24 de novembro de 2015  e 19 de outubro de 2018. 

A denúncia foi feita pelo movimento “Penamacor – um município no coração” publicamente, na assembleia municipal de Penamacor, e junto do Ministério Público que abriu um inquérito. Na acusação, o MP pede a perda de mandato para António Luís Beites. 

Na primeira sessão do julgamento, o actual chefe do executivo penamacorense voltou a afirmar que não se tratou de uma viagem lúdica ou de lazer, mas para ficar a conhecer um novo sistema informático para a gestão do município.

Nesta sessão, o ex-vice-presidente da autarquia de Penamacor, Manuel Joaquim Robalo, não esteve presente  alegando questões relacionadas com a saúde de um familiar.

O administrador da empresa, que vendeu o equipamento informático, acusado de um crime de recebimento indevido de vantagem agravado, referiu que o objetivo do encontro era obter ‘feedback’ sobre questões relacionadas com a plataforma informática.

O julgamento prossegue dia 21 de dezembro, com a audição de testemunhas e do arguido Manuel Joaquim Robalo, e tem nova sessão agendada para dia 4 de janeiro, onde poderão ser já proferidas as alegações finais.


 

 

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados