RCB/TuneIn
Terça, 17 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
ALCAINS-5 V.VELHA DE R?D?O-0
O Alcains acabou por golear uma forma??o que mostrou, neste jogo, pouca apet?ncia ofensiva. Com uma primeira metade jogada a ritmo lento e que chegou ao descanso com a vantagem m?nima no marcador, o 2? e 3? golos apontados em curto espa?o de tempo, deitaram por terra as aspira??es forasteiras. Os da casa realizaram uma segunda metade mais de acordo com a sua valia, mas o desn?vel elevado no final da contenda n?o retrata a boa r?plica que os visitantes at? deram.
Por Jo√£o Perquilhas em 31 de Oct de 2010
Em ritmo lento e por vezes pachorrento, Alcains e V.Velha de Ródão realizaram uma desfalecida primeira parte do desafio. Os da casa, como lhes competia, chamaram a si as responsabilidades do desafio, mas os comandados de Chico Lopes, com uma boa organização defensiva, iam adiando perigos de maior para as suas redes. Contudo, e face ao maior pendor ofensivo, Hélio Salvado, aos 14`, fazia o 1º tento da tarde, na sequência de um pontapé de canto. De imediato a estratégia forasteira foi alterada, saindo Edson por troca com Xisto, com o claro intuito de dar maior profundidade ofensiva à sua equipa. Entre os 15 e os 20 minutos Cunha iniciou uma série de três remates consecutivos á baliza de André Raposo, mas por aí se ficaram as intenções alheias.Perto do descanso Hélder Rodrigues rematou violentamente à barra da baliza de Paulo Oliveira quando tinha tudo para marcar, deixando assim tudo em aberto para a etapa complementar. No primeiro minuto do segundo tempo o empate esteve à vista. Cunha bateu um livre para Fernando, à boca da baliza, falhar a emenda que seria fácil, não tivesse ele errado o cabeceamento na bola. Este lance galvanizou os jogadores de V.Velha que se mostravam agora muito mais dispostos a lutar pela conquista dos três pontos, e durante uma vintena de minutos equilibraram, dominando até algumas fases do jogo. Porém desse maior balanceamento ofensivo, não foram retirados dividendos. É que, o Alcains, matreiramente, estava-se a preparar para dar o xeque-mate. Aceitava esse maior pendor ofensivo antagónico e espreitava o contra-ataque, que viria a resultar em pleno. Minuto67: um ataque (mais um) forasteiro morreu nas mãos de André Raposo que de imediato, com um pontapé comprido, lançou o veloz Hélder Rodrigues. Este soube ler bem a trajectória do esférico e controlou-o á entrada da área para depois rematar para o fundo das redes. Tudo fácil quando bem interpretado…Este tento sofrido fez abanar a estrutura rodense que 2 minutos depois sofria novo revés. A sua defensiva não foi lesta no afastar do perigo junto da sua baliza, e disso se aproveitou Daniel Fernandes, para com um remate seco e colocado fazer balançar de novo as redes dos visitantes. A tranquilidade chegava para os canarinhos e aos de V.Velha de Ródão nada mais restava que tentar encurtar distâncias, o que, convenhamos, não se afigurava nada fácil, dada a forma como os atletas sentiram os golos sofridos. Quem não abrandava o ritmo eram os donos do terreno que marcariam ainda em mais duas ocasiões. Nuno Carvalheiro ampliou a vantagem para quatro zero aos 82`e Seninho fecharia a contagem quando os ponteiros anunciavam os noventa minutos. Foi uma vitória justa do Alcains, embora os números finais nos pareçam exagerados, face àquilo que os dois conjuntos fizeram no decorrer da partida. À arbitragem de Délio Rolo apenas apontamos uma falha. Houve no decorrer do 1º tempo um atraso de bola, de um defensor da casa para a sua área, que André Raposo deteve com as mãos. Era pontapé livre indirecto dentro da área canarinha que no entanto o árbitro, mal, não sancionou. Em tudo o restante esteve à altura dos acontecimentos, até porque imperou a correcção.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados