RCB/TuneIn
Domingo, 19 Set 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
DISTRITO PERDE MAIS DE 18 MIL PESSOAS
Rádio Cova da Beira
O distrito de Castelo Branco perdeu 18 mil 352 pessoas na última década. Os dados fazem parte da análise preliminar dos “Censos 2021” que foram apresentados esta quarta-feira pelo instituto nacional de estatística. Todos os concelhos perderam população. A diminuição mais acentuada verificou-se no concelho de Covilhã que perdeu 5344 pessoas.
Por Nuno Miguel em 28 de Jul de 2021

Em 2011 o município da Covilhã registava 51 mil 797 pessoas em contraponto com os actuais 46 mil 453. A segunda maior perda foi registada foi em Castelo Branco que diminuiu 3837 pessoas. Passou de 56 mil 109 para 52 mil 272. No concelho do Fundão, a redução de população é de 2692, totalizando 26 mil 521 pessoas em contraponto com as 29 mil 213 registadas em 2011.Nos restantes municípios do distrito, na Sertã a população baixou de 15 mil 880 para 14 mil 748, o que representa uma diminuição de 1132 pessoas. Em Idanha-a-Nova há a registar menos 1376 pessoas, o que significa um decréscimo de 9716 para 8340. Em Proença-a-Nova o município baixou de 8314 para 7147, menos 1167 pessoas em 2021. 
O município de Vila de Rei foi o que registou uma quebra menos acentuada, 176 pessoas, passando de 3452 para 3276. Em Belmonte a diminuição foi de 655 pessoas, passando de 6859 para 6204. Penamacor regista um decréscimo de 918 pessoas, o que significa uma quebra de 5682 para 4764. 
Na última década Oleiros passou de 5721 para 4900, menos 821 pessoas e Vila Velha de Rodão tem menos 234 pessoas, baixando de 3521 para 3287.
Na apresentação dos resultados, o presidente do conselho directivo do INE sublinha que “observando a evolução da população por Nut´s II verificamos que apenas Lisboa e Algarve registam um aumento de população. Para além disso, todos os municípios que registam aumento populacional situam-se no litoral, com uma clara concentração à volta da capital e na região do Algarve”. 
Dados que, acrescenta Francisco Lima, demonstram um decréscimo populacional semelhante ao que se viveu entre as décadas de 60 e 70 do século passado “entre 2011 e 2021 tivemos um decréscimo populacional de dois por cento, o que significa que o saldo migratório positivo não foi suficiente para compensar o saldo natural negativo que foi verificado na última década. E quando observamos toda a série, verifica-se um decréscimo populacional semelhante ao que se registou entre 1960 e 1970”. 
Ao nível da sub-região da Cova da Beira, que engloba os municípios de Belmonte, Covilhã e Fundão, registou-se uma perda de 8691 pessoas na última década. Em 2011 foram registadas nestes três concelhos 87 mil 869 pessoas em contraponto com as 79 mil 197 da operação censitária realizada este ano.  

 

c/ Lara Cardoso 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados