RCB/TuneIn
Terça, 25 Jan 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PORTAGENS: SÓ A ABOLIÇÃO FARÁ JUSTIÇA À REGIÃO
Rádio Cova da Beira
Esta quinta feira entram em vigor novos descontos nas portagens das ex-SCUTS, mas só haverá justiça na Beira Interior com a abolição, disse Celso Lopes no programa “Em Foco” da RCB. O investigador entende também que Portugal não aprendeu nada com o grande incêndio de Pedrógão. Dois dos temas escolhidos naquela que foi a sua última participação, antes da suspensão do programa de comentário semanal da RCB.
Por Paula Brito em 30 de Jun de 2021

A redução das portagens de 50% para todos os veículos de combustão e de 75% para os veículos elétricos e não poluentes é bem-vinda, mas só haverá justiça na Beira Interior quando as portagens forem totalmente abolidas. Ideia deixada por Celso Lopes, convidado do programa “Em Foco” da RCB.

 

O investigador comentava a portaria aprovada em conselho de ministros, no passado dia 17 de junho, que entra amanhã em vigor.

 

“A minha opinião é muito clara, eu acho que a única justiça, ou alguma justiça que nos possam fazer, é quando não existirem portagens. Porque acho que é isso que merecemos e só aí poderá ser feita alguma justiça. 50% de redução é bom, não podemos negar, mas só deveremos estar satisfeitos quando não existirem portagens.”

 


Na sua última participação no programa “Em Foco” da RCB, no passado dia 18, Celso Lopes escolheu também os incêndios como tema. Há um novo verão a chegar e, segundo o comentador da RCB, não aprendemos nada com a tragédia de Pedrógão.

 

“Naquilo que faz falta a este território eu acho que não aprendemos nada, não aprendemos nada, e está a aproximar-se ou já estamos na altura de andarmos com o coração nas mãos, e acho que mais um ano vamos andar dessa forma, porque pouco foi feito.”

 

Pouco foi feito pela prevenção desde o grande incêndio de 2017 que começou em Pedrógão Grande, no dia 17 de junho e rapidamente se alastrou a concelhos vizinhos, provocando 66 vítimas mortais e mais de 250 feridos, para além de avultados danos materiais, destruindo meio milhar de casas e 50 empresas.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados