RCB/TuneIn
Terça, 27 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
DEPUTADA SAÚDA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO ECONÓMICA
Rádio Cova da Beira
Hortense Martins considera que "Portugal não se pode dar ao luxo de desperdiçar dois terços do seu território no interior” a afirmação feita pela deputada do PS eleita pelo distrito de Castelo Branco na assembleia da república durante a audição, na comissão parlamentar de economia e inovação, de António Costa e Silva sobre o plano de recuperação económica de Portugal.
Por Nuno Miguel em 24 de Sep de 2020
A também vice presidente do grupo parlamentar socialista sublinhou a importância de não se continuar a desperdiçar o potencial do interior ao prosseguir na "concentração de serviços e de investimentos numa pequena parte do território". Hortense Martins afirma que "temos que desconcentrar para onde há mais qualidade de vida, para onde ainda há recursos para aproveitar e explorar, porque isso é valorizar o nosso território e aumentará o nosso PIB e a saúde das pessoas".  
A deputada do PS eleita pelo distrito defende que esse caminho passa por "políticas territorializadas" para atracção de investimento e por uma "política fiscal harmonizada para atrair empresas às zonas de fronteira", destacando que atrair emprego e pessoas é determinante “até porque a ocupação do nosso território combate os incêndios. Não é só o distrito de Castelo Branco, é o nosso país que está a ser flagelado pelos incêndios porque a ocupação do território é ao contrário do que deve ser”. 
Nesta audição, Hortense Martins valorizou ainda o investimento na ferrovia, as ligações de fronteira e a necessidade de investir em clusters como o agroalimentar e o automóvel. António Costa e Silva mencionou alguns bons exemplos do trabalho autárquico no interior, no sentido de promover esse desenvolvimento, como é o caso de Castelo Branco, Fundão e Bragança.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados