RCB/TuneIn
Quarta, 28 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
COVILHÃ: BE EXIGE ESCLARECIMENTOS
Rádio Cova da Beira
O núcleo concelhio da Covilhã do Bloco de Esquerda manifesta, em comunicado, a sua “preocupação e incerteza” quanto à situação da mobilidade urbana do concelho, em especial em relação ao serviço de transportes públicos.
Por Nuno Miguel em 31 de Aug de 2020
Neste comunicado, o núcleo da Covilhã considera que “há falta de clareza e transparência em todo o processo” de mudança da empresa que vai assegurar o serviço “e o executivo municipal mostra-se inábil e impreparado para resolver a situação que, a cada dia, evolui de forma a evidenciar a negligência com que a câmara tem tratado o assunto”. O Bloco de Esquerda afirma que “o executivo municipal, que está no seu segundo mandato, não conseguiu preparar atempadamente um concurso para substituir a concessão actual que concluiu a sua prestação de serviço em Setembro de 2019. O concurso foi lançado apenas em Abril de 2020 e teve a data para a apresentação das propostas prorrogada sucessivas vezes. Permanece vazio, pois nenhuma empresa manifestou interesse”. O núcleo da Covilhã mostra-se surpreendido com a nota publicada no site da autarquia onde é afirmado que o município “de forma inesperada foi informado pelo actual concessionário” que não iria continuar a prestar esse serviço. Uma informação “falsa” porque “há mais de um ano se sabia que este desfecho seria inevitável. Se a câmara municipal alega desconhecimento é porque os interesses políticos foram outros, voltou-se apenas para as guerras internas socialistas, esquecendo o interesse público e a defesa das populações da Covilhã”.
Nas notas publicadas pela autarquia a 25 e 28 de Agosto “em nenhuma delas está claro a forma como o município vai assegurar a continuidade dos serviços, que para o Bloco de Esquerda é motivo de grande preocupação pela importância estratégica que a rede de transportes públicos assume na mobilidade das populações”.
O núcleo da Covilhã consultou o portal dos contratos públicos “onde não foi possível encontrar nenhum contrato que possa servir de garantia de que a câmara municipal pode realmente assegurar a prestação deste serviço” e considera que se trata de “uma enorme irresponsabilidade do actual executivo, deixar que esse serviço, já tão precário, com rotas e horários inadequados e insuficientes, falhem por evidente incompetência”.
Face a esta situação, o Bloco de Esquerda requer que o município torne públicas as condições da concessão a ser realizada para suprir o prazo até que a nova empresa, através do concurso público que foi lançado, assuma a nova concessão.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados