RCB/TuneIn
Terça, 07 Jul 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
BVF: NOVA EIP A PARTIR DE JUNHO
Rádio Cova da Beira
Começa a funcionar, na próxima segunda-feira, nos bombeiros voluntários do Fundão, a segunda Equipa de Intervenção Permanente (EIP), protocolada entre o município do Fundão, que comparticipa 60% dos custos, e a Associação Humanitária de Bombeiros que suporta os restantes 40%.
Por Paula Brito em 29 de May de 2020

O presidente da direção da corporação, Carlos Jerónimo, em entrevista à RCB, explica as mais valias desta nova equipa para o concelho.

 

“Vamos ter uma equipa das 6h às 14h e outra das 14h às 22h, portanto, e o resto da noite vai ser assegurado pelo corpo de bombeiros voluntários do Fundão. Há aqui um reforço da nossa capacidade de intervenção e isso vai ter um reflexo muito positivo na capacidade e rapidez de atuação.”

 

Convidado do programa “Flagrante Direto” da RCB, no último fim de semana, em que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Fundão comemorou 93 anos, Carlos Jerónimo disse que esta foi a melhor prenda que os bombeiros podiam receber.

 

“Melhor prenda julgo que não haveria, porque apostar na valorização dos nossos recursos e na profissionalização dos nossos bombeiros, são objetivos que qualquer corporação tem como prioritários.”

 

O presidente da direção dos bombeiros do Fundão, fez ainda as contas aos efeitos da pandemia nos bombeiros. Para além dos custos extra com a segurança dos bombeiros, que ascendem os 30 mil euros, as receitas diminuíram por via do decréscimo de transporte de doentes.

 

“Temos, desde o início da Pandemia, um decréscimo substantivo da receita, por via do menor número de serviços prestados na emergência pré-hospitalar e outro tipo de emergência, porque, de fato, a política do ministério da saúde foi de combate à Covid-19, portanto, durante dois meses perdemos muito serviço, acresce a isso o dispositivo que montámos nos bombeiros para acudir a esta situação de emergência fica mais caro, em termos de recursos humanos, assumimos isso porque tínhamos que defender os nossos bombeiros e, por outro lado, até ao momento já gastámos mais de 30 mil euros em proteção individual, o que é de fato uma situação extraordinária, e espero que haja algum tipo de candidatura para que os bombeiros possam ser ressarcidos.”

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados