RCB/TuneIn
Quinta, 02 Abr 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
AGRUPAMENTO DA DISC?RDIA
Conselho executivo da escola secund?ria do Fund?o mudou de opini?o e quer criar um novo agrupamento de escolas no concelho. A decis?o n?o ? pac?fica, com a escola Jo?o Franco ? contra. A palavra final ? do minist?rio da educa??o.
Por César Duarte Ferreira em 14 de Mar de 2008

Há um dado novo no processo de criação do agrupamento  secundário e básico do Fundão. Há cinco anos que o assunto está em cima da mesa, e a grande novidade é que o conselho executivo da escola secundário mudou de opinião. Até agora, a secundária estava contra a junção com o agrupamento de escolas João Franco, agora aprova a sua constituição. A decisão foi comunicada recentemente à coordenação de escolas do distrito de Castelo Branco no decorrer de uma reunião que sentou à mesa os responsáveis dos 4 agrupamentos do concelho do Fundão. O presidente do concelho executivo da escola secundária fundanense, espera que a decisão da Drec seja tomada com celeridade. A mudança do sistema de ensino, nomeadamente com a extinção do ensino recorrente, retirou cerca de duas centenas de alunos, factor que, a par de uma deficiente articulação com o Centro Novas Oportunidades, leva a escola a alterar a sua posição: “Tem havido algumas dificuldades de articulação com o Centro Novas Oportunidades, levando a que neste momento o número de alunos que era suposta não exista.”

Estevão Lopes diz-se convicto que a criação deste agrupamento vai gerar novas dinâmicas na atracção de alunos para os cursos de educação/formação e para formação de adultos, se assim  não for a secundária pode perder a dimensão que actualmente tem: “penso que a médio prazo e tendo em conta as perspectivas demográficas que existem, a escola perderá a dimensão que tem. Há orientações para o agrupamento de escolas quer na Covilhã, quer em Castelo Branco e se o Fundão não acompanhar esta tendência poderá vir a ter uma dimensão menor.”

A criação do novo agrupamento é para Estevão Lopes uma adaptação às mudanças que estão a ser operadas no ensino em Portugal. Este responsável garante “ que se houvesse um agrupamento os problemas de adaptação dos alunos não aconteciam.”

Um argumento que não é partilhado pela presidente do concelho executivo do agrupamento de escolas João Franco, que refere, ser esta uma questão de adaptação quando um aluno muda de estabelecimento de ensino. Filomena Diamantino, ouviu a comunidade educativa do agrupamento que dirige e mantém a posição assumida: contra a criação de um novo agrupamento: “este agrupamento de escolas tem uma cultura diferente da secundária. Embora vizinhos, vivemos de costas voltadas uns para os outros.”

Filomena Diamantino não encontra nenhuma vantagem na criação do agrupamento, bem pelo contrário: “ temos que ser honestos e claros. A rentabilização dos recursos humanos tem de ser feita e alguém tem de ser posto de lado é inevitável. Alguém vai sair prejudicado e quanto a mim sairá a João Franco.”

Para a presidente  do agrupamento  de escolas João Franco defender esta estrutura por causa do Centro Novas Oportunidades é redutor. Filomena Diamantino refere que os “ alunos não passaram para as turmas dos curso EFA  da secundária, porque os próprios preferiram ir para o instituto de Formação Profissional.”

Questionado pela RCB, o vereador da educação da câmara Municipal do Fundão não se pronuncia, para já, sobre o assunto. Mas Henrique Dias refere que a decisão só deve ser tomada depois de 2009.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados