RCB/TuneIn
Quarta, 03 Jun 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“É VERGONHOSO”
Rádio Cova da Beira
Provedor da Santa Casa do Fundão considera “vergonhoso”, o Governo estar a equiparar misericórdias e Instituições de Solidariedade Social às empresas, no que aos apoios diz respeito.
Por Paula Brito em 03 de Apr de 2020

Jorge Gaspar recorda que além de não terem fins lucrativos, as instituições do setor social são as guardiãs do maior grupo de risco nesta pandemia.“Equiparar entidades que não têm fins lucrativos, que prestam serviço público na área social e da saúde, que estão na linha da frente deste combate, que têm à sua responsabilidade milhares de idosos, que são o grupo mais vulnerável deste epidemia, é simplesmente vergonhoso.”

 

Em entrevista ao programa “Flagrante Direto” da RCB, no último fim de semana, o provedor da misericórdia do Fundão recorda que esta é a terceira crise que o setor social está a atravessar num espaço tão curto de tempo.

 

“Sem termos tempo para respirar, tivemos a crise financeira e estivemos na linha da frente, como prémio, a seguir, tivemos o aumento do salário mínimo nacional, justo, mas que nestas instituições se refletiu negativamente na sua saúde financeira, e agora, temos esta pandemia que vem a debilitar ainda mais estas instituições.”

 

Ainda assim, Jorge Gaspar acredita que as misericórdias vão conseguir ultrapassar a situação e fazer jus aos 500 anos de história que têm ao serviço dos outros.

 

“No final será preciso fazer ainda mais contas à vida, mas as misericórdias sempre souberam reerguer-se e dar a volta por cima, não vai ser fácil, mas nós, quero salientar, temos uma equipa que se tem revelado muito forte, muito empenhada, muito profissional, com sentido de missão, quer os que estão lá dentro, quer os que estão cá fora a trabalhar para assegurar os meios para trabalhar aos que estão lá dentro.”

 

A misericórdia do Fundão encara com “muito receio, muito cuidado e precaução” as dificuldades inerentes ao Covid-19 a quem tenta fechar a porta, a todo o custo, nos cinco lares e na unidade de cuidados continuados onde tem a seu cargo, mais de 200 idosos. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados