RCB/TuneIn
Segunda, 06 Abr 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
JOÃO MADEIRA VENCE PRÉMIO VERGÍLIO FERREIRA
Rádio Cova da Beira
Instituído pela câmara municipal de Gouveia (Guarda), o Prémio Literário Vergílio Ferreira 2020 foi atribuído a João Afonso Madeira, natural do Ferro (Covilhã), que apresentou a obra “Senha Número Trinta e Quatro”, anunciou a autarquia.
Por Paulo Pinheiro em 02 de Mar de 2020

Concorreu com o pseudónimo de Chlara De Thé apresentou a obra “Senha Número Trinta e Quatro” e foi escolhido pelo júri como o Prémio Literário Vergílio Ferreira 2020, na categoria de romance.

João José Afonso Madeira nasceu em 21 de Novembro de 1956, na freguesia do Ferro, no concelho da Covilhã.

“Ainda criança deu a mão a seus pais e com eles rumou a Lisboa, a cidade onde se fez homem e sobre a qual escreveu muitos dos seus textos em que a componente humana ao nível da classe média assumia especial relevo”, refere a nota da edilidade de Gouveia.

O premiado foi vendedor, paquete, agente imobiliário, mas foi como coordenador informático na banca que preencheu a sua vida profissional, entretanto cessada. Leitor constante, quase compulsivo, de muitos géneros e autores, assimilou de todos eles os estilos que, sem o saber, o conduziram, na opinião dos seus leitores, a um cunho muito pessoal na sua escrita.

Publicados estão “Inter Lapidem”, editora Universus, 2011; “O Rio Que Corre na Calçada”, Estremoz Editora, 2014; “O Jardim da Dona Gertrudes” (Infantil), Estremoz Editora, 2014; “A Lenda Desconhecida de Francisco Caga-Tacos”, Estremoz Editora, 2014. Colaborou em várias coletâneas de Contos, das quais destaca “Portugal Profundo” pela reunião de vários autores nacionais.

 

O anúncio do vencedor do galardão foi feito no decorrer de uma sessão realizada na biblioteca municipal Vergílio Ferreira, em Gouveia, onde também foi assinado o protocolo de constituição da rede “Ler e Partir - Geografias Literárias de Eduardo Lourenço, Eugénio de Andrade e Vergílio Ferreira”, entre os municípios de Gouveia, Guarda e Fundão, sessão que contou com a presença da diretora regional da cultura do Centro, Dr.ª Suzana Menezes.

 

O Prémio Literário Vergílio Ferreira, instituído pela Câmara Municipal de Gouveia, pretende homenagear o escritor Vergílio Ferreira, bem como incentivar a produção literária, contribuindo desta forma para a defesa e enriquecimento da língua portuguesa.

 

Para além do reconhecimento do autor e da obra literária vencedora, o prémio terá um valor pecuniário de cinco mil euros e será entregue ao autor em cerimónia pública em Agosto de 2020.

 

A assinatura do protocolo tem como principal objectivo "a construção de uma rede em torno dos espaços emblemáticos na vida e na obra destes escritores", respetivamente; Guarda (Eduardo Lourenço e Vergílio Ferreira), Póvoa de Atalaia-Fundão (Eugénio de Andrade) e Melo-Gouveia (Vergílio Ferreira), a que se associarão as casas-museu (Casa da Poesia Eugénio de Andrade e a futura Casa da Palavra Vergílio Ferreira) e as Bibliotecas Municipais: Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira de Gouveia, Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço da Guarda e Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade consagradas a estes autores.

 

 

Considerando a importância e o valor literário dos escritores Eugénio de Andrade; Eduardo Lourenço e Vergílio Ferreira, "o projecto reveste-se de uma natureza multipolar, trabalhando o património material e imaterial de cada município, de uma forma complementar, pluridisciplinar e integrada, reforçando o conhecimento dos escritores, que se notabilizaram pela dimensão estética e força comunicativa das suas criações literárias, nomeadamente através de uma perspectiva que se diferencia pela criação de roteiros literários específicos e por uma rede de cooperação cultural intermunicipal", referem os promotores da iniciativa.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados