RCB/TuneIn
Sexta, 03 Abr 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
“SAMAMBAIA” EM ESTREIA MUNDIAL NO CCCCB
Rádio Cova da Beira
O Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB) é palco da estreia mundial da obra musical “Samambaia”, da autoria de Alexandre Delgado, no dia 23 de Fevereiro, às 18h.
Por Paulo Pinheiro em 20 de Feb de 2020

Outras da categoria:

A autarquia albicastrense organiza o espectáculo “Música de Câmara para Castelo Branco”. O evento resulta de propostas feitas pelo município a três compositores portugueses.

O programa contempla a apresentação das obras Aus der Tiefen, de César Viana, a Suite Raiana, de Fernando Lapa, escrita a partir de temas tradicionais da Beira Interior, e a estreia mundial da obra Samambaia, de Alexandre Delgado.

Os intérpretes serão o João Roiz Ensemble e, como convidados, o clarinetista Pedro Ladeira e Carisa Marcelino, no acordeão.

"Este é um claro exemplo de uma iniciativa que promove a cultura e, simultaneamente, destaca a importância do património musical tradicional e a sua leitura contemporânea”, refere o presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia.

De acordo com a edilidade, a iniciativa permite estimular os compositores a contribuírem para uma leitura multifacetada da contemporaneidade e afirmar Castelo Branco enquanto centro de produção cultural nacional.

 

Sobre Alexandre Delgado

 

Alexandre Delgado nasceu em Lisboa em 1965 e é compositor e violetista. Estudou na Fundação Musical dos Amigos das Crianças e diplomou-se em violino e composição no Conservatório Nacional em 1983. Discípulo de Joly Braga Santos, o seu Prelúdio para Cordas foi estreado pela Orquestra Sinfónica da RDP em 1982. Prosseguiu os seus estudos com Jacques Charpentier em França (como bolseiro da SEC), diplomando-se com o 1.º Prémio de Composição do Conservatório de Nice em 1990. A sua obra Antagónica foi seleccionada para os World Music Days, na Cidade do México, em 1993, e o seu Quarteto de Cordas foi gravado em CD pelo Quarteto Arditti. Langará, para clarinete solo (1992), tornou-se peça de reportório a nível internacional, com múltiplas gravações em CD. Com encomendas de vários festivais internacionais e das principais instituições musicais portuguesas, a sua produção inclui a ópera de câmara O Doido e a Morte, cuja estreia dirigiu no São Carlos em 1994, em Berlim em 1996, e cuja 6.ª produção dirigiu no Teatro de Almada em maio de 2014. A sua ópera em dois atos A Rainha Louca foi estreada e gravada em CD sob sua direcção, no CCB, em 2011. Entre as suas obras mais recentes destacam-se o ciclo Cinco Sonetos Quinhentistas (estreado pelo soprano Maria Bayo), Tríptico Camoniano para soprano e trio com piano, Verdiana para orquestra e Baila, Bailarino para coro infantil e orquestra, estreado no CCB em Junho de 2015.

Crítico musical do jornal Público entre 1992 e 2002, assinou o programa radiofónico A Propósito da Música na Antena 2 entre 1996 e 2013. É autor dos livros A sinfonia em Portugal, A culpa é do maestro (crítica musical) e Luís de Freitas Branco. Realizou elogiadas versões portuguesas das óperas Hänsel und Gretel, Die Zauberflöte, The Little Sweep e La bela dormente nel bosco.

 

Na foto: Alexandre Delgado 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados