RCB/TuneIn
Sexta, 28 Fev 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
O QUE PENSAM OS CANDIDATOS DO PROCESSO JUDICIAL
Rádio Cova da Beira
Se for eleito presidente da comissão política do PS de Castelo Branco, Fernando Raposo vai levar à concelhia a retirada de confiança política a Luís Correia, que deveria ter pedido a suspensão de mandato assim que foi condenado na primeira instância. Já para Arnaldo Braz, seja qual for a decisão do Supremo Tribunal Administrativo, o cenário que se segue é pacífico: se Luís Correia sair, sobe o número dois.
Por Paula Brito em 28 de Jan de 2020

Fernando Raposo entende que, a partir do momento em que foi condenado, o autarca deveria ter pedido a suspensão de mandato até trânsito em julgado da decisão.

Se esse não for o entendimento de Luís Correia, a retirada da confiança política vai ser avaliada pelo órgão.

“Essa hipótese vai ser analisada, e se a maioria concordar será nesse sentido. Mas a primeira sugestão que lhe vou dar, para que isso não aconteça, é que suspenda o mandato, porque está diminuído nas suas capacidades para decidir situações futuras, e a credibilidade do partido e do concelho? Castelo Branco é conhecido nos últimos anos pelas piores razões, por razões desta natureza.”

Seja qual for a decisão do Supremo Tribunal Administrativo, Fernando Raposo deixa claro que Luís Correia não é o seu candidato à presidência à câmara de Castelo Branco nas próximas autárquicas.

“Não será o meu candidato, porque se tivesse pedido logo a suspensão de mandato ele ganharia credibilidade, na política não vale tudo.”

No caso de Luís Correia perder o mandato, Fernando Raposo entende que a equipa que integra o executivo deve reunir com a comissão política do PS, para serem prestada contas e assumidos compromissos, uma vez que Luís Correia não apresentou a lista ao órgão para ser ratificada, nas últimas autárquicas. O cenário de eleições antecipadas também não deve ser descartado.

Para Arnaldo Braz, que se recandidata à presidência da concelhia socialista, com ou sem perda de mandato, o cenário que se segue é pacífico.

“Se for favorável está o assunto arrumado, se não for, há procedimentos normais, sai o número um entra o que está a seguir e a vida continua, não me parece que haja qualquer tipo de crise”.

Arnaldo Braz reitera o apoio a Luís Correia “tem todo o apoio de tal maneira que até faz parte da minha lista”. Quando questionado se é o seu candidato em 2021, no caso de não se confirmar a perda de mandato, Arnaldo Braz remete a decisão para o órgão “quem vai decidir não sou eu, é a comissão política concelhia”.

As diferentes posições dos dois candidatos à liderança do PS de Castelo Branco, a propósito da condenação do autarca albicastrense a perda de mandato por irregularidades relacionadas com a lei das incompatibilidades de cargos públicos, que aguarda decisão do supremo tribunal administrativo ao recurso interposto por Luís Correia.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados