RCB/TuneIn
Sexta, 15 Jan 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROVEDOR QUEBRA SILÊNCIO
Rádio Cova da Beira
Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Covilhã quebra silêncio sobre a saída dos dois secretários da mesa administrativa, primeiro Jorge Saraiva, depois Carlos Madaleno. Neto Freire garante que em nenhum dos casos foi por motivos de gestão ou houve prejuízo para a instituição.
Por Paula Brito em 27 de Dec de 2019

Na primeira entrevista que deu à RCB depois das demissões, o provedor diz que em ambos os casos foram motivos pessoais que estiveram na origem da decisão. A começar por Jorge Saraiva.

“Ou saía ele ou saía eu, e foi isso que propus ao presidente da assembleia, e ele (secretário) entendeu que devia sair. Peço desculpa a quem quer saber a razão, mas garanto que não tem a ver com a gestão ou problemas da misericórdia, tem a ver com razões pessoais.”

Jorge Saraiva saiu, entrou Carlos Madaleno que, também por motivos pessoais, abandonou o cargo.

“Nesse caso, não fez sentido que um elemento de um órgão, a um mês das eleições saia. Eu fiquei satisfeito, pensei que se iria formar uma lista, porque ser provedor tem custos para a minha família e para as minhas empresas.”

Neto Freire garante, no entanto, que o cargo que desempenha não tem custos para a misericórdia “nenhuns, eu nunca apresentei um quilómetro que fosse”.

Neto Freire, que acaba de ser reeleito para cumprir o segundo mandato à frente da misericórdia da Covilhã diz que só se recandidatou porque não apareceu nenhum candidato “com capacidade para continuar o trabalho que temos feito”.

Continuar no caminho da sustentabilidade financeira da instituição é o grande objetivo do novo mandato.

“Manter a instituição com o peso da dívida que tem, que ainda é muito forte.”

Há seis anos, Neto Freire herdou uma dívida de 4 milhões e 700 mil euros, que se situa atualmente nos 3 milhões e 200 mil, “este ano subiu um nadinha, devido ao alargamento do lar, mas estamos a acautelar tudo para continuar a descer”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados