RCB/TuneIn
Quarta, 26 Fev 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
ESGIN: TODOS CONTRA O ENCERRAMENTO
Rádio Cova da Beira
PSD, PS e CDS estão contra um eventual encerramento da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova. Na semana em que o Conselho Geral do IPC votou favoravelmente o plano de reestruturação da instituição, partidos políticos manifestam-se.
Por Paulo Pinheiro em 05 de Dec de 2019

A distrital do Partido Social Democrata afirma estar "frontalmente contra" um eventual encerramento da Escola Superior de Gestão (ESGIN) de Idanha-a-Nova "defendemos de forma clara e inequívoca, que somos frontalmente contra o encerramento da ESGIN, pois isso acarreta prejuízos incalculáveis  para o concelho acentuando o despovoamento num dos concelhos com menor densidade demográfico do país", sublinha em comunicado, a comissão política distrital social-democrata.

 

Os sociais-democratas criticam o modelo de financiamento do ensino superior "desajustado da realidade do país e do contexto das instituições que o compõem", nomeadamente no distrito de Castelo Branco. e deixam criticas ao PS

 

"A Comissão Política Distrital do PSD Castelo Branco compreende a importância de escolas descentralizadas e da sua importância no contexto de desenvolvimento regional, onde não há espaço para os tão típicos quintais de interesses socialistas que originaram a mais pequena Comunidade Intermunicipal do país", sublinham.

 

Defendendo ainda que as instituições de ensino superior situadas em territórios de baixa densidade sejam majoradas a nível de financiamento por parte do Orçamento do Estado, numa lógica de coesão territorial, o PSD entende "que existirão aspectos a melhorar no sentido de tornar a escola [ESGIN] mais atractiva para os alunos da região e sobretudo, fora dela. Mais importante do que fazer da escola um instrumento de guerrilha política interna como fizeram dois autarcas do PS [Idanha-a-Nova e Castelo Branco], seria importante ouvir os alunos, pessoal docente e não docente e a direção da escola sobre aquilo que pode ser melhorado para que a reestruturação do IPCB se traduza numa mais-valia para uma escola com potencial de crescimento", frisa

 

A distrital do PSD de Castelo Branco deixa ainda o reparo "desperdiçar o capital regional em lutas estéreis num tempo onde a cooperação institucional é uma mais-valia regional é um erro e demonstra o descontrolo a luta desenfreada pelo poder instalada no seio do PS", conclui.

 

 

 

 

 

 

Também em comunicado, a Federação Distrital do Partido Socialista de Castelo Branco “está obviamente contra” qualquer eventual intenção de encerramento da ESGIN ou de qualquer decisão “que não acautelasse as instituições, os alunos, o pessoal docente e não docente”.

Em comunicado, os socialistas afirmam respeitar as instituições e a sua autonomia, assim como os órgãos eleitos, de acordo com a lei e nesse sentido “a defesa do IPCB no seu todo, tem de assegurar que esta instituição seja cada vez mais uma instituição de referência e de permanente ligação ao território onde está inserida”.

“A necessidade de promover cada vez mais a atracção de alunos e alunas às suas escolas, num contexto cada vez mais concorrencial, tem de ser a sua missão assim como fazer, como que todas as escolas nas várias áreas se reforcem”, sustenta.

 

A Federação liderada por Hortense Martins, defende “que tudo deverá ser feito, para contribuir para o reforço do IPCB - Instituto Politécnico de Castelo Branco e o reforço das suas escolas, nomeadamente da ESGIN”, uma posição transmitida ao presidente da Câmara de Idanha a Nova em várias intervenções e reuniões.

Os socialistas recordam ainda que em reunião havida com o Presidente do IPCB também defenderam que não concordavam com o encerramento da ESGIN em Idanha a Nova.

 

No documento enviado aos órgãos de comunicação social, a Federação Distrital de Castelo Branco do PS diz acreditar “que só com esforço e união e diálogo” se conseguem de forma sustentável vencer os desafios.

“É absolutamente necessário que o IPCB se reforce para conseguir cada vez mais atrair alunas e alunos e de forma mais efectiva contribuir para a fixação de pessoas e para a competitividade da região, através da interacção entre esta instituição e os sectores e empresas e instituições da nossa região”, sustenta.

“Recusamos toda e qualquer tentativa de dividir e colocar uns contra os outros”, remata.

 

 

 

A concelhia do CDS/PP de Idanha-a-Nova também se mostra contra um possível encerramento da ESGIN. Para os centristas, o fecho da escola, “além de trazer prejuízos económicos, contribuirá para o agravamento da continua desertificação populacional que o concelho regista nas últimas décadas”.

Para o CDS de Idanha, a câmara municipal deve encontrar formas de diálogo e apoio junto do IPCB para que o encerramento da escola não seja a única solução para resolver os problemas económicos em que  a instituição se encontra.

Os centristas idanhenses devem fazer chegar ao grupo parlamentar do CDS na Assembleia da República o tema para que seja efectuada uma pergunta ao Ministério da tutela afim de se conhecer qual a posição do Governo sobre o assunto,

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados