RCB/TuneIn
Quarta, 03 Mar 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
DE CASTELO BRANCO A BRAGANÇA SÃO 276 KMS DE DISTÂNCIA
Rádio Cova da Beira
Mudança da Secretaria de Estado da Valorização do Interior de Castelo Branco para Bragança não surpreende a União dos Sindicatos do Distrito de Castelo Branco (USCB) que, em comunicado, deixa o aviso à nova secretária de estado “espere lá por nós, que, se for preciso e nisso virmos interesse, nós lá iremos.”
Por Paula Brito em 19 de Nov de 2019

Outras da categoria:

A USCB recorda que a mudança não é total “uma parte da equipe vai para Lisboa” deixando a secretaria de estado na terra da secretária de estado. A USCB questiona se a governante fosse do Açores, a secretaria de estado iria para o arquipélago?

Não colando o argumento da residência, a USCB entende que há outros motivos por detrás desta mudança.

Desde logo, “a ausência de uma verdadeira política para o Interior e de coesão territorial que, como vamos vendo, é como os amores de verão. Passam e mudam depressa.”

A USCB recorda que, antes da Secretaria de Estado para a Valorização do Interior foi criada a Unidade de Missão que, na prática, “foi dissolvida sem informação formal e oficial aos membros do seu Conselho Consultivo (a sua extinção nunca foi publicada, mas também nunca mais reuniu)”.

Uma Unidade de Missão mudada de Lisboa para Pedrógão Grande numa tentativa “canhestra e patética de fazer crer que agora é que era”, a que se seguiu o “foguetório mediático” da criação da secretaria de estado em Castelo Branco.

Uma mudança que, para a USCB, não pode ser desligada da tentativa de fuga do governo ao contacto direto com as populações e os seus representantes já que, a sua localização em Castelo Branco, “facilitava um contacto geograficamente mais amplo e a realização de ações públicas, como aliás se viu com a questão da abolição das Portagens.”

Se a fuga ao contacto foi um dos objetivos que presidiram à mudança a USCB avisa: “se Maomé não vai à montanha, vai a montanha a Maomé”.

Para a USCB, tão importante como haver um ministério para a Coesão Territorial, ou a Secretaria de Estado estar em Castelo Branco ou em Bragança, é a existência de políticas concretas e eficazes para o Interior. “O combate às assimetrias sociais e económicas, a travagem da crise demográfica no Interior e a abolição ou não das portagens vão ser testes à sua capacidade e real poder de decisão.” 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados