RCB/TuneIn
terça, 27 set 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
MATERNIDADE DE CB: DEPUTADOS DO PS REUNIRAM COM A ULS
Rádio Cova da Beira
A notícia de que a maternidade de Castelo Branco corria o risco de fechar portas "causou incerteza e preocupação na população e na comunidade em geral” o que levou a deputada e Presidente da Federação Distrital do PS, Hortense Martins, a solicitar uma reunião ao Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde com carácter de urgência.
Por Paulo Pinheiro em 19 de Nov de 2019

No encontro, que decorreu esta segunda feira, os deputados eleitos pelo círculo de Castelo Branco manifestaram as suas preocupações  e “constataram a vontade e empenhamento” do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) de Castelo Branco “na procura de soluções para a resposta ao problema da falta de médicos no serviço de ginecologia e obstetrícia”, refere a deputada e presidente da Federação Distrital do PS d Castelo Branco, em nota enviada á comunicação social.

 

 

“Urge reforçar este serviço com a contratação de novos profissionais, mas foi-nos comunicado que têm sido abertos concursos sucessivos desde 2014 para a contratação de profissionais, infelizmente, não têm havido interessados”, lamenta Hortense Martins.

 

De acordo com o comunicado, o Conselho de Administração afirmou que “não está em causa a manutenção da Maternidade na unidade hospitalar” e “garantiu a determinação”, em conjugação com a tutela e a administração regional de saúde, para “reforçar a breve trecho o serviço, estando já em vista essa contratação”.

 

A deputada e Presidente da Federação Distrital, Hortense Martins contactou o Governo “que mostrou estar a acompanhar a situação para agilizar a resolução desta situação, manifestando a importância da maternidade para Castelo Branco e para a região”.

 

Os deputados Hortense Martins, Joana Bento e Nuno Fazenda reafirmam a defesa e reforço desta maternidade: “Não podemos aceitar a possibilidade de estar em causa este serviço, atendendo à sua importância, às necessidades da população e até ao trabalho que tem sido efectuado neste serviço pelos seus profissionais que há muito tempo trabalham e dirigem o mesmo”.

 

Por isso, consideram que “ este serviço não pode estar em causa e esperam que rapidamente a situação seja resolvida”.

 

“As parturientes querem continuar a ter as suas crianças em Castelo Branco, como hoje nos foi manifestado por algumas pessoas, realçando ainda que a Maternidade é também um serviço importante para atracção e fixação de pessoas”, afirma Hortense Martins.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados