RCB/TuneIn
Quinta, 14 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
FUTSAL: ADF AINDA NÃO GANHOU EM CASA
Rádio Cova da Beira
Após uma primeira parte dominadora, com qualidade, quer a defender e a atacar, a AD Fundão, não pode, nem soube, materializar em golos, as oportunidades criadas, apesar de Mário Freitas ter marcado aos 8'. Vitor Hugo, guarda-redes bracarense, foi, nesses 20', o melhor em campo, evitando mais quatro golos "cantados" aos beirões, a remates de Mário Freitas(2), Hirata e Varela.
Por Miguel Malaca em 14 de Oct de 2019

Pelo meio, o fundanense Rafael Bocum de livre, ainda rematou ao poste.

A ADF controlava a partida, jogava bem, talvez tivesse sido a melhor primeira parte da equipa até ao momento do campeonato, foi superior, mas não marcou. Inclusivamente, durante dois minutos a jogar com mais um elemento na quadra (expulsão de Márcio Moreira - acumulação de amarelos, justos, em 3 minutos, no regresso ao Fundão, do internacional português), os fundanenses não foram capazes de marcar ao Sp. Braga. Vitor Hugo brilhou na baliza, mas também Júlio César, do outro lado, teve duas boas intervenções a remates de Amílcar e Ricardinho.

Com o início da segunda parte, chegou também o desnorte defensivo e o factor psicológico beirão, que voltaram a ditar leis, e a consumar a terceira derrota seguida na Liga Placard, e o terceiro jogo em casa sem vencer, na presente temporada.

Aos 25'' do segundo tempo, Coelho, livre de adversários, tal como o seu colega Cássio, fez o empate.

Como foi possível ter deixado o pivot bracarense isolado na área, para receber um passe de Vitor Hugo dentro da área da equipa minhota? Mário Freitas aos 23' ainda consegue fazer o 2-1, num grande remate na zona frontal da baliza adversária.

A vantagem durou dois minutos. Mais um erro defensivo, e Coelho bisou também no encontro. Incrível.

A AD Fundão sentiu muito esses dois golos, e em termos anímicos, foi o pior que podia ter acontecido ao conjunto orientado por João Nuno Ribeiro/Nuno Couto. É verdade que ainda, Péleh, Mário Freitas e Lucas, tiveram possibilidade de marcar, mas, mais uma vez, o guardião internacional português, opôs-se bem, sendo que no último remate, também contou com a ajuda do poste.

No segundo tempo, o Sp. Braga foi melhor, dominou, teve em Ricardinho, a sua melhor unidade em campo, e aos 27', de livre, Daniel Rosa, fez a reviravolta no marcador (2-3). Grande golo. 

Numa toada, de parada e reposta, o jogo estava frenético, mas foi ainda a equipa de Paulo Tavares, a ver a bola bater por três vezes nos postes da baliza do Fundão, a remates de Daniel, Coelho e Ricardinho.

Aceita-se a vitória do Sp. Braga, pela segunda parte realizada, não tem culpa dos erros da ADF, mas o empate também seria justo, pelo 1º tempo da turma beirã. Tudo isto, numa partida bem disputada, competitiva e emotiva.

Boa arbitragem da dupla do Porto (Ruben Santos / José Moreira), no compto geral dos 40'. Sem influência.

Muito bem na expulsão de Márcio Moreira.

Muitas dúvidas, na defesa de Júlio César (1ª parte), dentro ou fora da área fundanense com a mão.

José Moreira, mais perto do lance, que nós, decidiu seguir com o jogo.

No próximo sábado, dia 19 de outubro, às 16 horas, a AD Fundão joga no pavilhão do Candoso (Guimarães).

Relato na RCB. 

 

 

 

 

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados