RCB/TuneIn
Terça, 19 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CHUCB VENCE PRÉMIO NA CATEGORIA "MODELOS CENTRADOS NO DOENTE"
Rádio Cova da Beira
O projecto de telemonitorização de doentes com insuficiência cardíaca crónica do CHUCB, liderado pelo médico Luís Oliveira, venceu o prémio "Investir em Saúde 2019", na categoria "modelos centrados no doente".
Por Nuno Miguel em 11 de Oct de 2019
O prémio foi atribuído durante a quarta edição da conferência “investir em saúde: financiar anos de vida” que decorreu em Lisboa e que resulta de uma iniciativa da “Cofina”, com o apoio da “Janssen” e da associação portuguesa de administradores hospitalares.
Este projecto consiste “num programa pioneiro ao nível do SNS e faz parte de um sistema integrado de acompanhamento de doentes referenciados com esta situação clínica. Para além da já referida telemonitorização, incluí também tratamentos de reabilitação cardíaca e medição dos resultados em saúde. Tem como principais objectivos a detecção precoce de complicações ou episódios de descompensação, a melhoria da evolução da doença, monitorizando a adesão ao tratamento e seus efeitos, a prevenção de hospitalizações e a redução de custos em saúde” refere em comunicado o CHUCB.
A instituição de saúde acrescenta que a cada um dos utentes envolvidos neste projecto “é entregue um kit de monitorização composto por um tablet e um conjunto de equipamentos de medição como um oxímetro, um termómetro, um esfigmomanómetro, uma balança e um monitor de actividade física. A todos é garantido acompanhamento inicial e formação no uso e colocação dos referidos dispositivos médicos, por forma a poderem realizar a monitorização diária dos respectivos parâmetros”.
Os dados recolhidos “são supervisionados diariamente por um centro de triagem e monitorização, que além da verificação dos dados tem implementado um protocolo personalizado, criado pelos médicos do CHUCB, por forma a fazer a despistagem de sintomas de alerta para a evolução do estado da insuficiência cardíaca crónica”.
De acordo com o centro hospitalar “até ao momento, a telemonitorização domiciliária já provou ter efeitos positivos na diminuição do recurso aos meios hospitalares e na melhoria da qualidade de vida dos doentes. Após o primeiro ano de implementação, os resultados de saúde alcançados são evidenciados pela diminuição de internamentos, redução de dias de internamento e redução de episódios de urgência”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados