RCB/TuneIn
Segunda, 21 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
LIVRO DE JOÃO MORGADO AGUARDA TRADUÇÃO PARA ESPANHOL
Rádio Cova da Beira
“Fernão Magalhães e a ave-do-paraíso”, pode ser traduzido para espanhol, ainda no decorrer das comemorações dos 500 anos da circum-navegação que se prolongam por três anos, tantos quantos durou a viagem do navegador português ao serviço de Castela. Convidado esta manhã do programa Flagrante Directo da RCB, o autor diz que é uma possibilidade.
Por Paula Brito em 05 de Oct de 2019

“É uma possibilidade, estas coisas na literatura são muito lentas, mas neste momento está sobre a mesa a tradução para espanhol. Esta semana o meu livro esteve a ser apresentado no Chile, está a ter uma boa saída em termos comerciais e portanto, estou contente. Se entrar no mercado espanhol, maravilha”.

A ser traduzido, o autor recusa-se a alterar a história “haverá apenas uma tradução, não pretendo mexer na história, nem sequer para dar mais brilho ao Elcano, até porque não é um homem que tivesse brilhado muito”.

João Morgado lamenta que em Portugal não haja comemorações oficiais da circum-navegação, um feito alcançado por um navegador português de que o país se deve orgulhar, “valia a pena realçarmos este grande navegador português, mesmo que em Portugal continuem a ter vergonha deste nome, porque não houve qualquer comemoração oficial destes 500 anos.”

No livro, João Morgado, seguindo o fio condutor da história, descreve a aventura de Fernão Magalhães.

“Eu acho que é uma aventura que vale a pena seguir. Eu recomendo o livro, claro! Pela dureza da viagem, pelo inóspito em que andaram, nunca ninguém tinha andado até tanto ao sul, dar de caras com pinguins...”

Uma viagem que só foi possível devido à personalidade do navegador “era um homem muito destemido, com um feitio muito duro, e só este feitio, de antes quebrar que torcer, lhe permitiu enfrentar as tempestades, o desconhecido, as traições dos seus próprios homens, e levá-los a percorrer meio mundo por sítios inóspitos, enfrentar a fome e chegar onde chegaram.”

Uma epopeia que o escritor covilhanense descreve no seu novo romance histórico “Fernão Magalhães e ave-do-paraíso” que é esta tarde apresentado na biblioteca municipal da Covilhã, às 17h.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados