RCB/TuneIn
Terça, 22 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“CÂMARA ABRIU MÃO DE UMA ZONA QUALIFICADA PARA O EMPREGO”
Rádio Cova da Beira
A bancada do movimento “De Novo Covilhã” não poupa nas críticas à opção seguida pela câmara municipal em avançar para a venda, em hasta pública, de lotes de terreno para a construção de urbanizações habitacionais nos terrenos da Quinta da Grila, na zona envolvente ao «Data Center» daquela cidade.
Por Nuno Miguel em 22 de Sep de 2019
Na última reunião da assembleia municipal o líder da bancada do movimento refere que, ao seguir este caminho, o município está a desperdiçar uma área qualificada para a criação de emprego. Ao mesmo tempo, Luís Fiadeiro quis saber porque motivo apenas foi vendida uma parte dos lotes e não a sua totalidade “a câmara colocou à venda os terrenos, em hasta pública preparada para a venda de 36 lotes a um único comprador. Á ultima hora ninguém apareceu para essa licitação e seguiu-se a venda, lote de lote, de apenas seis dos 36 que estavam disponíveis. Como foi estabelecido o preço? Qual a razão que levou a câmara a abrir mão de um «campus» qualificado para o emprego e para as empresas apara acabar por dar lugar a um bairro habitacional como tantos outros que existem no concelho?” foram as interrogações deixadas.   
Na resposta, o presidente da câmara da Covilhã garante que o caminho agora seguido em nada coloca em causa o desenvolvimento empresarial daquela área nem uma eventual ampliação do «Data Center». Vítor Pereira mostrou-se ainda convicto de que “vamos conseguir vender todos os lotes; esse é o nosso objectivo e vão ver que conseguimos vendê-los. E importa sublinhar que estes lotes estão localizados numa zona que em nada colide com o «cluster» das novas tecnologias que ali existe. Não usurpámos, nem o podíamos fazer, espaços da «Altice» que estão salvaguardados. Por outro lado depois deste loteamento ainda nos sobram 120 mil metros quadrados. Haja empresas daquele ramo que ali se queiram instalar e estamos preparados para isso. Não vamos é lá colocar unidades de metalomecânica ou de agropecuária. Não há nenhum prejuízo para este «cluster» e quem, maldosamente, anda a dizer que ocupámos tudo com habitação está a mentir”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados