RCB/TuneIn
Segunda, 23 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
BREXIT DEBATIDO NO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
Os cidadãos britânicos residentes na região esperam que a população do Reino Unido possa ser chamada novamente a pronunciar-se em referendo sobre a saída da União Europeia. A ideia foi deixada durante uma reunião de trabalho com a cônsul da embaixada britânica que decorreu na biblioteca municipal do Fundão.
Por Nuno Miguel em 11 de Sep de 2019
Apesar de o governo Português já ter garantido que os cidadãos britânicos vão manter o seu direito de residência no caso de uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo, os cidadãos britânicos residentes da região ainda acreditam que é possível inverter essa situação. O tema foi abordado durante uma reunião sobre as consequências do «Brexit» que a embaixada do Reino Unido promoveu no Fundão e que faz parte de um périplo nacional em que se pretende conhecer com maior realidade o número de cidadãos britânicos a residir em Portugal.
A RCB foi encontrar um casal que reside há sensivelmente quatro anos na freguesia de Vale de Prazeres, no concelho do Fundão. Natural de Inglaterra, Theresa Pittillo, não esconde o seu desencanto com toda a esta situação “eu não quero estar em Inglaterra neste momento devido à forma como o «Brexit» está a decorrer. Estou muito infeliz com a situação e neste momento Portugal é mais a minha casa do que Inglaterra. O país foi muito acolhedor para nós e queremos fazer aqui a nossa vida e eu até me sinto envergonhada com o que está a acontecer em Inglaterra. Acho que o governo inglês não sabe o que quer fazer e ninguém consegue adivinhar o que podem fazer a seguir”. 
Acompanhada do marido o escocês, Greame Pittilo, os dois participaram na reunião que contou com a presença da cônsul da embaixada do Reino Unido em Lisboa. Em declarações à RCB, Greame espera que o bom senso ainda possa imperar nesta situação e que os britânicos sejam novamente chamados a pronunciar-se em referendo sobre a permanência na União Europeia “o meu lado optimista acredita que ainda é possível chegar a um entendimento. Da maneira que as coisas estão, não sei se esse é também o desejo do nosso governo, uma vez que com a aprovação da lei sobre esta matéria, Boris Johnson, não vai conseguir um novo acordo porque era isso que pretendia. Vai ser agora muito mais difícil chegar a um novo acordo e eu sinceramente espero que a situação seja melhor avaliada, que o bom senso impere e que seja possível realizar um segundo referendo. Esse é o meu desejo pessoal”.      
A RCB procurou também chegar à fala com a cônsul Simona Demuro, que declinou o convite por não estar autorizada a prestar declarações sobre o assunto.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados