RCB/TuneIn
Terça, 17 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SPORTING DA COVILH? REGRESSA ?S VIT?RIAS
O Sporting da Covilh? voltou a n?o entrar bem no jogo deste domingo. Ofereceu ao advers?rio os primeiros 45 minutos e depois teve que correr atr?s do preju?zo.
Por José Joaquim Ribeiro & Miguel Malaca em 24 de Feb de 2008

Os serranos abordaram este jogo com o Penalva do castelo de forma muito displicente. Na primeira parte não conseguiram criar uma única situação que pudesse dizer-se de evidente perigo para a baliza do adversário. Perante esta apatia covilhanense, a equipa de Penalva fazia o seu jogo e, sempre que lhe eram dados mais espaços do que seria de prever lá iam criando perigo junto da baliza de Igor. Não foram muitas as situações de perigo, mas foram em número suficiente para que tivessem  chegado, em primeiro lugar, ao golo na partida. Estavam decorridos 13 minutos quando num remate à meia volta, de um dos atacantes forasteiros Igor teve que ir ao fundo das redes buscar a bola, num lance em que o guardião serrano não terá feito tudo o que estaria ao seu alcance para evitar o golo. Três minutos depois a segunda oportunidade para o Penalva. Marco ganhou espaço e rematou forte. Aqui Igor redimiu-se do lance do golo e efectuou uma grande defesa evitando aquele que seria o segundo golo para o Penalva do Castelo. Foi ainda dentro da primeira parte, muito próximo do seu final que João Aurélio, em boa posição, atirou muito por cima da baliza do Sporting.

 

Ao intervalo a equipa do distrito de Viseu estava na frente do marcador e, diga-se, com justiça.

 

Na segunda parte tudo foi diferente. Os leões acordaram do marasmo da primeira parte e mostraram que afinal ali, no Complexo Desportivo, mora o actual líder desta série da 2ª divisão nacional. O jogo passou a ser mais fluido, passou a haver mais posse de bola e, passou, também, a haver mais determinação na disputa de cada um dos lances, por parte dos jogadores covilhanenses. Apesar deste maior domínio era com muitas dificuldades que conseguiam chegar à área da baliza adversária, tal o esquema que Carlos Agostinho montou para tapar os caminhos da sua baliza. Foi preciso esperar pelo minuto 72 para que o Sporting chegasse ao tento da igualdade. Foi num lance algo confuso, com a bola a sobrar deste para aquele chegando, finalmente aos pés de João real que não se fez rogado e atirou a contar. Parecia que o mais difícil estava alcançado, mas não foi isso que se passou. Como o empate continuava a ser um resultado positivo para a equipa de Penalva do Castelo, era natural que o seu treinador mantivesse o mesmo esquema de não deixar que o Sporting chegasse com perigo junto da sua baliza. Qualquer treinador faria o mesmo, nas mesmas circunstâncias.

 

Para complicar ainda mais a tarefa dos serranos, aos 83 minutos deu-se a exclusão de Paulo Campos por ter simulado uma falta que não era. O árbitro viu o lance de forma perfeita e mostrou o amarelo ao jogador covilhanenses, como Paulo Campos já tinha visto, antes, outra cartolina da mesma cor, foi mais cedo para o banho, deixando a sua equipa reduzida a dez.

 

No entretanto, aos 90 minutos, Paulo Listra, por falta cometida, viu, também ele, o segundo cartão amarelo, ficando os dois clubes a jogar com dez unidades. No lance que resultou a falta, Paulo Gomes bateu o livre e Edgar, saltando mais que a concorrência, fez o golo que deu o triunfo ao líder do campeonato.

 

Este triunfo, alcançado a ferros, é merecido apenas pelo que a equipa de Rui França fez na segunda parte, visto que, no primeiro tempo não fizeram nada para conquistar este resultado.

 

Faltam três jornadas para o termo desta primeira fase do campeonato, o Sporting da Covilhã tem nove pontos sobre o segundo da geral, o Eléctrico, e destes três jogos dois deles são no complexo desportivo da Covilhã: Torreense e Nelas e visita a Ponte de Sôr na penúltima jornada .

    

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados