RCB/TuneIn
Terça, 14 Jul 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
REFORÇAR A VOTAÇÃO ALCANÇADA EM 2015
Rádio Cova da Beira
É este o grande objectivo definido pela cabeça de lista do PSD pelo distrito de Castelo Branco para o acto eleitoral que está marcado para o próximo dia seis de Outubro.
Por Nuno Miguel em 27 de Jul de 2019

Outras da categoria:

Em entrevista ao programa “Flagrante Directo” da RCB, Cláudia André refere que o PSD quer manter os dois deputados que actualmente tem eleitos na assembleia da república e rejeita a ideia de que os social democratas se vão apresentar fragilizados às legislativas em virtude das recente eleição da nova comissão política distrital “não me parece que essa questão fragilize o partido, sobretudo se nos concentrarmos no presente e no futuro. É óbvio que a fasquia é manter os dois deputados mas o mais importante é obter mais votos que nas últimas legislativas. Sem dúvida alguma que o nosso objectivo é ganhar mas eu julgo que nos podemos dar por bastante satisfeitos se for conseguida uma votação superior à anterior”.  
Quanto à possibilidade de o actual líder da distrital, Luís Santos, vir a ocupar o segundo lugar na lista de candidatos a deputados pelo distrito, Cláudia André é peremptória “eu vejo com bons olhos ter qualquer bom elemento como número dois mas esse é um intuito para toda a lista. Felizmente não é difícil encontrar bons candidatos para integrar a lista porque o nosso distrito tem bons nomes. Nas eleições para a distrital eu não tive nenhum candidato, qualquer dos dois que se apresentou são pessoas que eu estimo bastante. O presidente foi escolhido nas eleições pelos militantes e agora vamos começar a trabalhar em conjunto”.    
Sobre o momento interno vivido recentemente no PSD, com a demissão do anterior presidente da distrital, Cláudia André reconhece que “foi um processo que aconteceu fora de tempo uma vez que o mandato da anterior comissão política distrital só iria terminar dentro de um ano. Do meu ponto de vista o mais importante de tudo é perceber que essa etapa já foi ultrapassada e agora é o momento de olhar para o presente e para o futuro e trabalhar com todo o afinco”.  
Nesta entrevista, a cabeça de lista do PSD também se pronunciou sobre um dos temas que mais tem marcado a agenda da região nos últimos anos; a colocação de portagens na A 23. Um processo que, de acordo com Cláudia André, deve ser reavaliado “as portagens na A 23 não poderão continuar a ter um valor tão elevado. Obviamente que nós sabemos que o método de cálculo tem a ver com os custos da obra e com a sua utilização mas julgam que os valores pagos actualmente por quilómetro são insustentáveis. É uma via que desta forma não nos serve. E por isso tem de ser repensado tudo o que está”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados