RCB/TuneIn
Quinta, 22 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
UM INVESTIMENTO MUITO IMPORTANTE PARA A REGIÃO
Rádio Cova da Beira
√Č desta forma que o ministro da administra√ß√£o interna classifica o novo sistema de videovigil√Ęncia para as florestas que foi inaugurado no CDOS da Guarda, e que vai abranger todo o territ√≥rio da comunidade intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.
Por Nuno Miguel em 26 de Jul de 2019
O sistema é composto por 12 câmaras de vídeo, instaladas em vários pontos do território, funcionam 24 horas por dia, e estão ligadas aos centros de controlo da Guarda e de Castelo Branco, permitindo acompanhar em tempo real o que acontece na área florestal de toda a região “permite ver o que se está a passar antes ainda de os bombeiros chegaram ao local e permite verificar onde é que o incêndio está a começar e qual a melhor forma de posicionamento dos meios. Também permite acompanhar o combate e ajudar a tomar decisões que, na maioria das vezes, podem ser melhor tomadas à distância do que no local. Estamos a falar de um investimento muito próximo de um milhão de euros, com uma parte de participação nacional que é suportada pelos municípios, que são parceiros fundamentais em todo este programa”.   
O projecto resulta de um investimento de 900 mil euros, concretizado pela comunidade intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, e Eduardo Cabrita refere que se trata de um projecto que vai ser alargado a todo o país “os mecanismo de vigilância são fundamentais e nós estamos a adicionar novos elementos à rede nacional de torres de vigia e nos últimos dois anos já conseguimos chegar à maior parte do território nacional e o objectivo é continuar gradualmente a alarga-la para que esteja disponível em todo o país dado ser um elemento muito importante na transformação do sistema que está a ser feita”.  
Já quanto à cidade que vai receber a sede do novo centro regional de protecção civil, Eduardo Cabrita refere que essa estrutura vai ficar no interior do país, mas não está ainda nenhuma decisão tomada “não está ainda tomada nenhuma decisão em relação a essa matéria. Como está na lei orgânica da autoridade nacional de emergência e protecção civil e como foi reiterado pelo governo nós não vamos fazer alterações na estrutura operacional durante esta época mais crítica. É uma matéria que está a ser avaliada e que vai ser discutida com a liga dos bombeiros portugueses e com a associação nacional de municípios”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados