RCB/TuneIn
Segunda, 19 Nov 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
1¬ļ MAIO: FESTA E LUTA
A união dos sindicatos do distrito de Castelo Branco (USCB) assinala o dia do trabalhador com várias iniciativas na Covilhã, Castelo Branco, Tortosendo, Unhais da Serra e Minas da Panasqueira. Sindicatos apelam à participação dos trabalhadores.
Por Paulo Pinheiro em 30 de Apr de 2010

Num quadro de grandes dificuldades para a maioria dos trabalhadores portugueses, e em particular para os do distrito de Castelo Branco, a USCB afirma que “é preciso dizer não às políticas do Governo socialista, com apoio expresso ou implícito dos partidos da direita e do Presidente da República” que se propõem aplicar o programa de estabilidade e crescimento (PEC).

 

Um programa, que de acordo com a união dos sindicatos, representa quatro grandes riscos: o agravamento da situação económica com o encerramento de empresas e a continuada e persistente destruição do aparelho produtivo; a desarticulação e destruição de serviços do Estado; o aumento das desigualdades sociais e a acentuação do endividamento do país.

 

Para a USCB, a luta dos trabalhadores, também no 1º de Maio, é “imperiosa para mudar o rumo do país, para travar uma situação de maior declínio económico e uma crise social ainda mais grave”. A luta continua, pelo direito ao emprego com direitos, por salários dignos, por horários que conciliem a vida profissional com a vida familiar, por melhores condições de segurança, higiene e saúde no trabalho e pelo respeito pelos contratos colectivos e pelas leis.

 

A união dos sindicatos de Castelo Branco promove esta sexta-feira, no Unidos do Tortosendo, pelas 21:00H, e em Unhais da Serra, na sede da filarmónica, à mesma hora, festas evocativas.

 

Amanhã (1º de Maio), na Covilhã, durante a manhã, corrida do dia do trabalhador, e pelas 15:30H comício/festa na praça do município. Em Castelo Branco, nas Docas, pelas 14:00H, comício/festa. Às 10:30H no Tortosendo está marcada uma manifestação. Durante todo o dia, nas Minas da Panasqueira realizam-se várias iniciativas para assinalar a data.

 

A delegação distrital de Castelo Branco do sindicato dos trabalhadores da função pública do sul e açores (STFB), também apela à participação dos trabalhadores nas iniciativas da união dos sindicatos porque, entre outras razões, “a precariedade é generalizada, há recursos a contratos e a trabalhadores desempregados a quem não é dada qualquer perspectiva de integração nos serviços e os concursos lançados e logo anulados”. Para o STFB, é preciso exigir condições de trabalho e salários dignos.

 

Festejar o 1º de Maio é imperioso, afirma a direcção regional de Castelo Branco do sindicato dos trabalhadores da administração local (STAL) para quem “os profundos ataques que vêm sendo desenvolvidos contra os direitos laborais e sociais, particularmente a intenção de congelamento de salários, antecipação do regime de convergência para a segurança social” precisam de ser travados.

 

Os trabalhadores têxteis anunciam a presença nas comemorações do 1º de Maio, dizem ter razões para o festejar e fazer dele um dia de luta. Para o STBB, as trabalhadoras das confecções têm de reagir contra o bloqueio à negociação colectiva

 “ As negociações salariais para 2010 têm sido um escândalo”, refere o sindicato que acrescente que nos lanifícios “os aumentos salariais são insuficientes para todos, não se descola do salário mínimo nacional e existem muitos trabalhadores com aumentos entre os e os 9 euros”. Nas confecções “ as novas tabelas já deveriam estar em vigor desde 1 de Março e os patrões continuam a querer impor aumento zero para 2010”.

Neste 1º de Maio, o sindicato dos têxteis da Beira Baixa reivindica um aumento mínimo de trinta e cinco euros.

 A direcção distrital de Castelo Branco do sindicato de professores da região Centro (SPRC) participa nas comemorações do dia do trabalhador sob o lema “ 1º de Maio: defender conquistas de Abril, mudar de políticas”. De acordo com o sindicato, com avanços e recuos os professores “lutaram e lutam para construir a escola pública, democrática, gratuita, inclusiva e de qualidade”, estrutura considerada essencial para garantir o direito à educação para todos os portugueses. Para exigir uma nova política para a educação, a direcção distrital de Castelo Branco do SPRC apela à participação de todos os professores nas comemorações do 1º de Maio nas diversas localidades do distrito de Castelo Branco. “Contra o desemprego, melhores salários”, é o lema com que a UGT assinala o dia do trabalhador, A UGT de Castelo Branco apela à participação dos trabalhadores no comício/festa que aquela central sindical organiza na avenida da Liberdade, em Lisboa

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados