RCB/TuneIn
Quinta, 18 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
PINHO VARGAS NO FUND?O
No ?mbito do programa comemorativo do 25 de Abril, o audit?rio da Moagem- cidade do engenho de das artes, no Fund?o, recebe, pelas 22:00H, o espect?culo de Ant?nio Pinho Vargas.
Por Paulo Pinheiro em 24 de Apr de 2010

António Pinho Vargas nasceu em Vila Nova de Gaia (1951). Licenciou-se em História pela Faculdade de Letras do Porto. Completou o Curso Superior de Piano no Conservatório do Porto e diplomou-se em Composição no Conservatório de Roterdão (1990) onde estudou três anos com o compositor Klaas de Vries, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Frequentou cursos de Nunes, Cage e Andriessen e seminários de composição com Ligeti na Hungria (1991) e Donatoni em Itália (1992). Condecorado pelo Presidente de República Portuguesa com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique, em 1995, foi professor de Composição na Escola Superior de Música de Lisboa (1991-2005). Desempenhou as funções de consultor na Fundação de Serralves (1994-2000) e no Centro Cultural de Belém (1996-1999).


Ligado ao jazz vários anos, gravou sete discos com dezenas de composições originais e tocou em muitos países da Europa e nos EUA, com músicos como Kenny Wheeler, Steve Potts, Paolo Fresu, Arild Andersen e Jon Christensen. Com o seu grupo de jazz apresentou-se em muitos países da Europa – Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Itália, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Dinamarca, Eslovénia, Cabo Verde, África do Sul, Macau e nos Estados Unidos. Recebeu por três vezes o Prémio de Imprensa Sete de Ouro para o melhor disco instrumental do ano. Compôs música para teatro e cinema, nomeadamente para os filmes de João Botelho: Tempos Difíceis (1988) Aqui na Terra (1993) Quem és tu? (2001) e de José Fonseca e Costa, Cinco Dias, Cinco Noites (1996) e O Fascínio (2003) recebendo o prémio da melhor música em festivais de cinema com Tempos Difíceis e Cinco Dias Cinco Noites.

Em 2008 regressou aos palcos e gravou o CD duplo SOLO que obteve excelente recepção critica, sendo considerado um dos Discos do Ano nas principais publicações. O projecto completa-se com SOLO II, com saída prevista para Outubro de 2009.

Sobretudo a partir da sua estada na Holanda, António Pinho Vargas tem-se dedicado principalmente à música contemporâ- nea, ocupando lugar de relevo no actual panorama português. Algumas das suas obras foram executadas em França, Alemanha, Holanda, Bélgica, Itália, Grécia, Dinamarca, Suécia, Espanha, Brasil, Inglaterra, Polónia, Hungria, EUA,  Rússia e China. 
A Culturgest organizou um Festival António Pinho Vargas em Fevereiro e Março de 2002 com a maior parte da sua obra. Encomedado pela Culturgest, LxFilmes e RTP, foi realizado por Manuel Mozos e Luís Correia o documentário António Pinho Vargas, notas de um compositor. Publicou os livros Sobre Música (2002) na Afrontamento e Cinco Conferências (2008) na Culturgest.

O compositor está a terminar o seu doutoramento na Universidade de Coimbra sob a orientação do Prof. Boaventura de Sousa Santos (C.E.S. da Universidade de Coimbra) e do Prof. Max Paddison (Universidade de Durham) com uma bolsa da Fundação da Ciência e Tecnologia ( informação contida no site oficial de Pinho Vargas).

Na praça do município do Fundão, cerca da meia-noite, está marcada uma arruda com a participação da banda filarmónica de Silvares. O programa prossegue amanhã com a sessão solene comemorativa do 36º aniversário do 25 de Abril, no salão nobre dos paços do concelho, onde para além das intervenções dos representantes dos partidos com assento na assembleia municipal do Fundão, cinco crianças falam também do 25 de Abril. À tarde, pelas 15:30H, inserido no projecto “Moer em família”, passa o filme “A fuga das galinhas”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados