RCB/TuneIn
Quinta, 27 Fev 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CENTO E VINTE E OITO EMPRESAS ENCERRARAM
O n?mero de insolv?ncias de empresas no distrito de Castelo Branco cresceu nos ?ltimos tr?s anos. Passou de 34 em 2007 para 35 em 2008 e 59 em 2009, ou seja encerraram 128 empresas. No corrente ano, at? 17 Abril, pode estar a ocorrer um abrandamento deste ritmo de insolv?ncias fruto de alguma recupera??o da actividade econ?mica ou de factores conjunturais.
Por Paulo Pinheiro em 23 de Apr de 2010

É a análise do observatório para o desenvolvimento económico e social da universidade da Beira Interior, que no seu último estudo procedeu à compilação, observação e comparação dos dados disponíveis acerca da insolvência de empresas em Portugal.

 

Em termos relativos, os dados mostram que, por exemplo em 2008 e 2009, os maiores aumentos de encerramento de empresas registam-se nos Açores em diversos distritos do interior do país, entre eles Castelo Branco, o que para o director do observatório da UBI, é tanto mais preocupante quanto é sabido que nestas regiões existem relativamente poucas empresas e se estas encerram ficam os espaços disponíveis para coutadas de caça.

 

De acordo com o estudo, mesmo nos primeiros meses deste ano continua a verificar-se este fenómeno dado que os maiores acréscimos de insolvência de empresas localizam-se sobretudo na Guarda (+12,5% face a igual período do ano passado), a par de Beja, Évora e Portalegre. No distrito de Castelo Branco houve uma redução mas que pode ser conjuntural, refere Pires Manso.

 

Os sectores que no interior se têm ressentido mais são os do comércio por grosso e sobretudo a retalho (o denominado comércio tradicional), o imobiliário e o da construção – o primeiro a dar sinais de crise – o sector têxtil e o da confecção de artigos de vestuário, sector agrícola e florestal, entre outros como a reparação automóvel e a restauração.

 

Sectores tradicionais que predominam nas zonas do interior, Castelo Branco, Guarda, Portalegre, Viseu e os distritos de Trás-os-Montes “ o que é preocupante para estas regiões como uma economia já de si tão debilitada”, sublinha o director do observatório económico e social da UBI.

 Da análise da evolução do número de insolvências em 2010 no território nacional, disponibilizada pelo centro de estudos do instituto informador comercial, concluiu-se que Castelo Branco, no contexto nacional, foi um dos distritos em que houve maior redução do número de encerramento de empresas (-23,53%) só superado pró Bragança e Açores. Viseu ficou antes de Castelo Branco. A Guarda está na nona posição entre os que viram aumentar o número de insolvências entre 2009 e 2010.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados