RCB/TuneIn
Terça, 18 Jun 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
BE CONTRA PLANOS DE EXPLORAÇÃO DE MINÉRIO
Rádio Cova da Beira
As comissões coordenadoras distritais de Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu do Bloco de Esquerda vem, em comunicado, manifestar a sua oposição contra os planos de prospecção e extracção de minérios nas regiões da Beira Alta, Beira Baixa e Trás-os-Montes.
Por Nuno Miguel em 18 de May de 2019
Neste comunicado, as comissões coordenadoras distritais do Bloco de Esquerda refere que “os avisos publicados em Diário da República nas últimas semanas, através da direcção geral de energia e geologia abrangem várias áreas nos distritos de Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu, acrescentando que “a vida destas populações vai tornar-se um inferno 24 horas por dia todo o ano e os sistemas ecológicos e produtivos locais seriam gravemente afectados pela exploração mineira de grande dimensão”. 
De acordo com o Bloco de Esquerda “esta realidade é escondida na sugestiva campanha publicitária para o lítio português que abasteceria um mercado europeu de baterias para carros eléctricos, contudo a extracção não será só de lítio, mas também de outros minerais mais lucrativos como o estanho ou o cobre”, referindo ainda que “os custos ambientais da extracção de lítio não permitem dizer que se trata de uma tecnologia limpa. É altamente consumidora de água, energia, espaços naturais, e é poluente. Os riscos ambientais e sociais são elevados”.
O Bloco de Esquerda considera ainda que “já está a acontecer uma grande pressão em vários concelhos do norte e centro do país e há já demonstração de interesse em dezenas de locais” pelo que “as consequências ambientais não se podem avaliar isoladamente porque têm efeitos cumulativos e interligados” e por isso defende que “para além da avaliação de impacto ambiental a cada exploração, todos os estudos devem ser precedidos de uma avaliação ambiental estratégica que agrupe todas as áreas potenciais de interesse para a exploração e que analise todos os factores críticos de desenvolvimento”.
Para o BE “sem uma análise global e integrada de todos os empreendimentos teremos uma anarquia de procedimentos e uma pressão insustentável sobre as populações, sem que estejam reunidos os mecanismos de salvaguarda ambiental e de qualidade de vida dos residentes. Por isso a prospecção e extracção de lítio deve ser encarada à escala nacional e até europeia, dado a interface com os utilizadores, especialmente às companhias ligadas à indústria automóvel” o que “obriga o estado Português a recorrer à directiva europeia de avaliação ambiental estratégica”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados