RCB/TuneIn
Quinta, 18 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
BE QUESTIONA GOVERNO SOBRE POSTOS DA GNR
Rádio Cova da Beira
Bloco de Esquerda (BE) questiona do Ministério da Administração Interna sobre a situação dos postos da Guarda Nacional Republicana de Alpedrinha (Fundão) e de Cebolais de Cima (Castelo Branco).
Por Paulo Pinheiro em 05 de May de 2019

Outras da categoria:

Na pergunta efectuada pela deputada Sandra Cunha, o BE recorda que as novas instalações do quartel da GNR de Alpedrinha esperam, há cerca de dois anos, pela transferência do posto que funciona na casa do povo da vila. O novo quartel resultou da requalificação e adaptação do edifício do antigo mercado, “mas algumas vicissitudes técnicas estão a atrasar a mudança”.

O posto, que se encontra num anexo da Casa do Povo, viu o concurso para o plano de eletricidade ficar deserto, “não tendo este problema um fim à vista. A este problema junta-se o facto de as instalações actuais não terem condições mínimas de trabalho para os militares da GNR nem para o atendimento aos/às cidadão/ãs”, refere o Bloco de Esquerda.

O BE quer saber que medidas concretas pretende o Governo tomar para resolver o problema eléctrico das instalações de Alpedrinha num distrito onde a degradação das instalações de vários postos da GNR “é tão profunda que exige uma reposta imediata e consequente”.

Outro caso apontado pelo Bloco de Esquerda é o do posto de Cebolais de Cima (Castelo Branco), um edifício de 1931, que já desabou em parte, aguardando o Comando Distrital da GNR de Castelo Branco pela autorização da tutela, há mais de 10 meses, para utilização de um espaço pertencente à Junta de Freguesia.

De acordo com os bloquistas, estes não são exemplos pontuais, são casos concretos de um problema transversal que, no caso de Castelo Branco, se materializa na situação insustentável em que dos 31 postos da GNR, 14 estejam em horário reduzido, e muitos deles degradados, sendo os dois exemplos citados apenas os casos mais graves.

“A requalificação destas instalações é urgente, assim como urgente é que nem mais um inverno – onde estas situações se agravam - seja passado nestas condições”, conclui.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados