RCB/TuneIn
Quinta, 18 Abr 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
EFP ENTREGA DIPLOMAS E PERSPECTIVA FUTURO
Rádio Cova da Beira
O director geral da escola profissional do Fund√£o espera ter a funcionar, at√© final deste ano, um restaurante pedag√≥gico. O objectivo foi definido por Lu√≠s Oliveira na cerim√≥nia de entrega de diplomas aos alunos que conclu√≠ram a sua forma√ß√£o no √ļltimo ano lectivo nos diferentes cursos de forma√ß√£o ministrados naquele estabelecimento de ensino.
Por Nuno Miguel em 26 de Mar de 2019
A concretização desse projecto é um dos objectivos a curto prazo, a par da obtenção da certificação europeia de qualidade do trabalho realizado pela escola profissional “a curto prazo temos vários objectivos para concretizar. Um deles prende-se com o restaurante pedagógico no âmbito de um projecto que foi desenvolvido no âmbito do orçamento participativo dinamizado pelo município do Fundão. Felizmente nós fomos um dos projectos vencedores e contamos que ele seja uma realidade no corrente ano. Também a certificação da escola pela qualidade, o famoso processo «Eqa Vet» que foi candidatado e que esperamos que este ano seja uma realidade. Não é que isto venha mudar muito à nossa realidade. É um selo de qualidade de formação europeia e que vem reconhecer o trabalho que já é feito diariamente nesta escola”.    
Mas, para além dos objectivos a curto prazo, há outros projectos que Luís Oliveira espera ver concretizados a médio prazo “há um aspecto que é fundamental para nós que é a residência de estudantes que está a funcionar no seminário e com isso poderíamos dar condições diferentes não só aos jovens que frequentam a nossa escola oriundos dos Palop mas também de outros concelhos limítrofes do Fundão. Também a questão da possível revisão de estatutos e com isto uma aproximação às empresas ainda mais diferenciada e podendo vir a contar com o regresso do município à gestão desta casa”. 
Sobre a possibilidade de a câmara do Fundão voltar a fazer parte do pacto social da escola, o presidente da autarquia não quis assumir qualquer compromisso, sublinhando no entanto a excelente relação entre as duas instituições. Já quanto à instalação de uma residência para estudantes no edifício do antigo seminário, Paulo Fernandes refere que o processo está a ser avaliado “esta escola levou-nos a que algo que era mais informal agora se comece a formalizar aquilo que é um pinto de recepção de alunos que tenham aqui, no antigo seminário, um ponto de apoio. É um espaço que serve de ponto de acolhimento para os migrantes que o município acolheu mas também tem uma residência para estudantes que agora se formaliza e que, não tenho dúvidas, vai crescer nos próximos anos e que procura dar a melhor qualidade aos alunos que escolhem o Fundão para realizar o seu processo formativo”.    
Uma cerimónia onde o presidente da associação promotora do ensino profissional da Cova da Beira também expressou o desejo de ver a autarquia e algumas empresas da região a integrarem o pacto social da escola no âmbito do processo de revisão de estatutos que está em curso. Carlos São Martinho Gomes deixou ainda a garantia de que “2019 é o ano da estabilização financeira dos terramotos que, em tempos recentes nos assaltaram, e agora essa situação vai entrar na normalidade. Estou convencido também que 2019 irá conhecer novos desenvolvimentos, nomeadamente no que diz respeito ao regresso do município ao pacto social da nossa escola mas também estamos a pensar abrir esse pacto social aos nossos empresários para lhes podermos fornecer cada vez mão de obra mais qualificada da nossa região”.  

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados