RCB/TuneIn
S√°bado, 20 Abr 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
O OLHAR DA ASSEMBLEIA PARA A CIDADE
Rádio Cova da Beira
Nas comemora√ß√Ķes dos 248 anos da cidade de Castelo Branco, a assembleia municipal reflectiu sobre a cidade do presente e do futuro.
Por Paula Brito em 22 de Mar de 2019

Outras da categoria:

 O eleito do CDS-PP propôs um debate alargado sobre como devolver a zona antiga à cidade. Francisco Lopes centrou o discurso nas questões sociais mas voltou ao tema do ano passado.

“Tendo, no ano passado, centrado parte da minha intervenção, à requalificação que urge fazer no centro histórico de Castelo Branco, infelizmente notamos que, desde essa data, ainda nada mudou. Queremos, de forma construtiva, dizer que está na altura de lançar um concurso de ideias, aliado a um debate alargado, com o patrocínio do município da Encosta do castelo à plena integração na vida da cidade.”

Mas não basta requalificar os espaços, é preciso acabá-los, mantê-los e dar-lhes vida, alertou o eleito do Bloco de Esquerda, José Ribeiro.

“Espaços públicos requalificados e que continuam sem utilização pela comunidade albicastrense, a promoção da eficiência energética e adaptação climática dos edifícios públicos, o estado actual da zona de lazer e a obra inacabada do estádio com pista de atletismo.”

De entre o muito que a CDU considera que é preciso fazer em Castelo Branco, Carina Caetano apontou alguns exemplos na área do ensino e juventude.

“É preciso avançar com medidas para que a juventude tenha futuro aqui, na cidade, e que não tenha necessidade de emigrar para garantir o futuro, é preciso avançar com cursos do ensino superior que tenham saída na região, é preciso avançar com um programa de bolsas de estudo para o ensino superior para famílias carenciadas.”

Maria Lurdes Ribeiro enumerou os problemas que o PSD considera mais prementes. “A crise demográfica, a fraca internacionalização das empresas, a carência de empresas de tecnologias e serviços inovadores.” Para inverter a situação, segundo o PSD, é preciso “transformar os problemas em desafios e implementar políticas, patrocinar interacções e definir estratégias para que, o conhecimento e a inovação gerados nas escolas de ensino superior sejam levados às empresas.”

Coube ao eleito do PS, Francisco Lopes, fazer o elogio à cidade governada pelo Partido Socialista há 22 anos.

“Castelo Branco é hoje uma cidade de média dimensão de referência, dinâmica, acolhedora, criativa, moderna, ousada, em permanente inovação e crescimento transversal, uma cidade competitiva que marca, e com marca.”

Coube a Arnaldo Brás, presidente da Assembleia Municipal de Castelo Branco, dar voz às propostas regionais que dizem respeito a Castelo Branco e ao interior.

“Hoje as questões que dizem respeito ao interior estão na ordem do dia, vamos tentar apanhar essa onda, de preferência todos unidos nas questões essenciais, vamos retomar a discussão sensível das portagens na A23, a construção do IC 31 e da barragem do Alvito.”

Uma cerimónia marcada pela apresentação da nova marca de Castelo Branco “Bordar e Receber”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados