RCB/TuneIn
Terça, 21 Mai 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
BE QUESTIONA MINISTÉRIO DO AMBIENTE
Rádio Cova da Beira
O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda na Assembleia da República questionou o ministro tutelado por Matos Fernandes sobre a situação das escombreiras no Cabeço do Pião, onde existe a “deposição de uma vasta quantidade de lamas altamente tóxicas, contaminadas com metais pesados como arsénico, chumbo, zinco ou cobre”.
Por Nuno Miguel em 14 de Mar de 2019
De acordo com os deputados do Bloco de Esquerda “esta situação decorre da extracção de volfrâmio nas Minas da Panasqueira por parte da empresa Beralt Tin and Wolfram que em 1996 abandonou este terreno, não tendo procedido a qualquer requalificação da zona em que laborou durante um século e da que resultaram vários resíduos. Há cerca de 14 anos quando a responsabilidade sobre o Cabeço do Pião passou para o município do Fundão já a Beralt Tin and Wolfram tinha encerrado a exploração, transferido a lavaria para a Barroca e ali deixado a escombreira, no topo da qual os resíduos se encontram está em risco de ruptura eminente”.
O Bloco de Esquerda acrescenta que “o instituto superior técnico tinha já detectado esta situação e a faculdade de engenharia do Porto está a proceder a um estudo ambiental e toxicológico sobre os impactos da contaminação do rio por estas lamas. Este estudo é essencial, quer pelo eminente risco de ruptura, quer pela falta de impermeabilização do solo, o que permite a infiltração dos contaminantes nos solos e a contaminação do rio Zêzere. Os resultados preliminares demonstram que, em caso de ruptura, os metais pesados serão transportados até à Barragem do Cabril expondo a população local a níveis inaceitáveis de toxicidade e a agentes carcinogénicos. Os investigadores recomendam ainda a reabilitação urgente do local para evitar este cenário de contaminação catastrófico. Na base desta escombreira situa-se a EN 512 e esta zona é também frequentada pela população”.
Face a esta situação dos deputados do Bloco de Esquerda pretendem saber quais as diligências de fiscalização já efectuadas pela inspecção geral do ambiente e ordenamento do território, se existe algum estudo elaborado pelo laboratório nacional de engenharia civil sobre a estabilidade da escombreira, se existe algum plano de intervenção com vista a minimizar as repercussões negativas associadas a esta situação e de que forma pretende o governo garantir a saúde ambiental e segurança pública dos habitantes potencialmente afectados por estas deposições. Para além disso os deputados exigem ainda conhecer os planos de fecho e de recuperação ambiental e paisagística das Minas da Panasqueira. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados