RCB/TuneIn
Quarta, 11 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
SITUAÇÃO “É PREOCUPANTE”
Rádio Cova da Beira
O vereador com o pelouro da protecção civil na câmara da Covilhã admite que está preocupado com as propostas de reorganização de funcionamento da autoridade nacional de protecção civil e que prevê, entre outras medidas, a organização dos corpos de bombeiros pelas comunidades intermunicipais em detrimento dos actuais comandos distritais de operações de socorro.
Por Nuno Miguel em 28 de Feb de 2019
No final da última reunião pública do executivo, Jorge Gomes garantiu que o município vai estar ao lado das corporações de bombeiros do distrito pela defesa da manutenção do actual modelo organizacional “estados bastante preocupados com esta situação. Já participámos em várias reuniões no CDOS em Castelo Branco no sentido de aquilatar as dificuldades que isto nos irá trazer. Neste momento temos no distrito cerca de mil operacionais mas esse número pode diminuir substancialmente caso esta proposta se concretize. O socorro às pessoas e bens é prestado pelos nossos corpos de bombeiros e existe também a necessidade de rever o financiamento atribuído a estas instituições para que possam cada vez melhor responder às necessidades e, a meu ver, era importantíssimo manter a unidade distrital e vamos lutar nesse sentido”.   
O autarca acrescenta que, caso se concretize essa alteração, dos actuais 12 corpos de bombeiros, o distrito de Castelo Branco vai passar a ter apenas seis. Uma situação que pode mesmo vir a colocar em causa a manutenção em funcionamento do actual comando distrital “esta repartição pelas CIM vem fragilizar-nos bastante porque o distrito de Castelo Branco vai ficar com apenas seis corporações de bombeiros e com um CDOS bastante débil e nós sabemos o que é que geralmente acontece às instituições quando ficam demasiado fragilizadas. Nesse sentido vamos continuar a demonstrar junto do poder central que esta repartição num distrito como o nosso não se justifica. Não verifico nenhum ganho com esta situação e antevejo uma maior confusão e mais dificuldade em poder responder no terreno às diferentes solicitações”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados