RCB/TuneIn
Quinta, 21 Fev 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“SE O ESTÃO A FAZER, DEVERIAM FAZER MELHOR”
Rádio Cova da Beira
A bancada do Partido Socialista na assembleia municipal do Fundão mostra-se preocupada com a falta de resposta por parte da autarquia no que respeita à limpeza dos terrenos florestais que foram consumidos pelos incêndios ocorridos no verão de 2017.
Por Nuno Miguel em 14 de Feb de 2019
Na última reunião do órgão, Mariana Morgadinho referiu que “as áreas ardidas nos incêndios de 2017 não estão devidamente limpas e não são um exemplo no que toca ao cumprimento das leis aprovadas com este mesmo objectivo. Tem chovido, temos tido verdadeiros temporais e consequentemente as +árvores ardidas estão a cair para as estradas municipais. Existem galhos enormes pendurados por um fio à espera de serem colhidos por um veículo. O município, primeiro que tudo e todos, deve ter uma atitude de prevenção e cautela na protecção dos cidadãos. Assim deixamos a nossa recomendação à câmara municipal para encarar esta situação com urgência e proceder efectivamente à limpeza das áreas ardidas, através do corte e remoção das árvores em risco de queda para o meio das estradas municipais, prevenindo assim a existência de qualquer acidente que possa acontecer devido a estes factores. Se o estão a fazer, então deveriam fazê-lo melhor” 
Críticas que o presidente da câmara do Fundão rejeita. Paulo Fernandes sublinha que a autarquia tem estado a procurar dar resposta às situações mais urgentes, mas reconhece que há ainda dificuldades em intervir em alguns terrenos privados “nós temos feito alguma limpeza no quadro das faixas em algumas até com uma intervenção forte, nomeadamente o troço entre o Fundão e Silvares, que de uma forma geral é um trajecto que está já bastante consolidado desse ponto de vista. No entanto há algo que eu espero que seja resolvido, mas que não é simples. É que na propriedade privada fora das faixas onde hoje existe uma capacidade pública de actuação, até pelos instrumentos legais que estão ao nosso dispor, mas a recolha do material lenhoso ardido é uma responsabilidade do privado. E até agora não me parece que tenha sido criado um sistema sólido de um preço-garantia de madeira queimada que fomente a limpeza em todas as propriedades que foram afectadas”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados