RCB/TuneIn
Terça, 26 Set 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
MERCADO VOLTA A GERAR DISCUSSÃO
PS e CDU não concordam com o projecto de construir um novo mercado na Covilhã. O tema gerou acesa discussão na última reunião da assembleia municipal.
Por Nuno Miguel em 19 de Mar de 2010

A proposta da autarquia prevê a construção de um novo edifício, no campo das festas, e a cedência do actual espaço na totalidade à empresa “Tele Performance” para a ampliação do seu "Call Center”.

Para Carlos Casteleiro "a opção que deve ser seguida é a adaptação do actual mercado e não a sua deslocalização". O deputado do PS considera que "com alguns melhoramentos o actual mercado serve perfeitamente os interesses das populações e, ao mesmo tempo, estamos a valorizar um edifício que faz parte da memória colectiva da nossa cidade".

Também a bancada da CDU mostrou a sua oposição em relação a esta proposta da maioria. Para Marco Gabriel a construção de um novo edifício "representa o desnorte da actual maioria em relação ao futuro do mercado uma vez que já foram várias as situações apresentadas e com a construção de um novo edifício a câmara quer dar resposta a um problema que ela própria criou"

Críticas desvalorizadas pelo presidente da câmara da Covilhã. Carlos Pinto considera que "é preciso encontrar uma solução para o futuro do mercado uma vez que o actual edifício já não dá resposta às necessidades e, por outro lado, a empresa solicitou-nos a totalidade do edifício para ali criar mais 500 postos de trabalho que é uma matéria que eu não vejo a oposição abordar".

O autarca covilhanense deixa ainda críticas à postura que a oposição tem vindo a seguir sobre este assunto "quem defende a continuidade do mercado no actual espaço quer acabar com ele de uma vez por todas pois se ñão criarmos melhores condições os poucos comerciantes que restam vão acabar por desaparecer uma vez que não tem uma alternativa melhor como aquela que nós temos pensada para o novo edifício".

Carlos Pinto garante que "a discussão ainda está em aberto uma vez que ainda não há projectos definitivos nem obras adjudicadas" e lança ao repto a PS e CDU "descubram uma solução melhor que esta que apresentámos uma vez que, quando inicialmente falámos sobre este tema, eu disse que a câmara procurou esgotar todas as possibilidades de recuperação doutros imóveis antes de apresentar esta proposta".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados