RCB/TuneIn
Sexta, 23 Ago 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
VISITAS MEDIADAS À REAL FÁBRICA DOS PANOS
Rádio Cova da Beira
Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior (UBI) promove três visitas mediadas à Real Fábrica de Panos. A primeira realiza-se este domingo, a partir das 14:30h.
Por Paulo Pinheiro em 03 de Feb de 2019

São visitas informais, conduzidas pela arqueóloga, natural da Covilhã, Beatriz Correia Barata, com participação livre e gratuita. Basta aparecer na erecção do Núcleo da Real Fábrica de Panos às 14h30. Hoje em destaque estão os poços de tingimento. No dia 3 de Março o tanque de água e no dia 7 de Abril os corredores das fornalhas.

De acordo com a organização, o objectivo é dar a conhecer as evidências arqueológicas do Núcleo da Real Fábrica de Panos do Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior (UBI), que revelam a história deste espaço emblemático da cidade da Covilhã e a sua ligação pioneira ao desenvolvimento da Arqueologia Industrial em Portugal-

 

Breve História

 

A área das tinturarias da antiga Fábrica Real fundada em 1764 pelo Marquês de Pombal, Sebastião José de Carvalho e Melo (1699-1782), que também serviu, a partir de 1888, de quartel do Regimento de Infantaria 21 e do Batalhão de Caçadores 2, foi posta a descoberto em 1975 durante as obras de reabilitação do edifício pombalino para albergar o Instituto Politécnico da Covilhã, criado em 1973.

 

Foi no espaço constituído por três oficinas de tinturaria e um eixo com dois corredores das fornalhas que o Museu de Lanifícios da UBI nasceu, após várias intervenções de recuperação e restauro das estruturas arquitectónicas e arqueológicas descobertas e classificadas como Imóvel de Interesse Público em 1982, promovidas pelo Instituto Universitário da Beira Interior (1979-1986) e pela Universidade da Beira Interior (a partir de 1986), com a coordenação da Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial. Esta iniciativa foi, desde o início, considerada uma acção pioneira e uma das mais relevantes na história da Arqueologia Industrial em Portugal.

 

Nota Biográfica

A arqueóloga Beatriz Correia Barata é natural da Covilhã. Licenciada e Mestre em Arqueologia, em 2012 e 2018, pela Universidade Nova de Lisboa. Tem experiência em trabalho arqueológico e assistência em museu, nomeadamente no apoio e atendimento ao público, visitas guiadas, montagem de exposições, organização de eventos e concepção de actividades educativas

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados