RCB/TuneIn
Sexta, 23 Ago 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“DESLOCALIZAÇÃO NUNCA FICOU CONTRATUALIZADA”
Rádio Cova da Beira
O núcleo do Fundão do Bloco de Esquerda vem, em comunicado, manifestar a sua preocupação pelo facto de nos documentos referentes à construção do lar de Souto da Casa, não constar nenhuma alínea que contemple a transferência para aquele edifício da extensão de saúde que está a funcionar naquela freguesia do concelho do Fundão.
Por Nuno Miguel em 01 de Feb de 2019
Em comunicado, o núcleo do Fundão do Bloco de Esquerda sustenta que em Setembro do ano passado se deslocou à extensão de saúde para avaliar o seu estado de funcionamento e onde foram detectadas várias falhas “como um edifício em mau estado, para além das janelas ainda serem de madeira o que leva a constrangimentos no inverno e no verão. Também o acesso à extensão é bastante deficitário o que dificulta o dia a dia dos utentes mais envelhecidos e com pouca mobilidade e o consultório do médico nem lavatório tem”.
O Bloco de Esquerda recorda que “foi prometido transferir a extensão para o edifício do novo lar quando terminassem as obras. Esses trabalhos já estão concluídos mas o serviço ainda não foi transferido”. Face a esta situação, o núcleo do Fundão esteve reunido com a presidente da junta de freguesia de Souto da Casa “que confirmou que existe um acordo para que a extensão de saúde se translade para o novo local com melhores condições”.
Posteriormente o núcleo dirigiu um requerimento à câmara do Fundão “onde foi solicitada toda a documentação referente ao processo de construção do lar António Genro da Silva, que contou com a contribuição da população, da junta de freguesia, do centro paroquial de assistência de Souto da Casa e do município, não tendo sido detectada nesses documentos, nenhuma referência específica à questão da extensão de saúde ser deslocalizada para as novas instalações do Lar. A única referência que existe é na cláusula nona, onde se refere que é «uma obrigação da infraestrutura ter o objectivo de servir a comunidade sendo que ainda se tem que definir regras»”. 
O Bloco de Esquerda acrescenta que esta situação permitiu constatar que “que formalmente, essa deslocalização nunca ficou contratualizada, se calhar só apalavrada e portanto alguém se andou aproveitar desta situação”, e garante que vai continuar a batalhar “para que a população de Souto da Casa tenha um acesso à saúde pleno na própria localidade” e por isso vai exigir a realização de obras de melhoria “nas infraestruturas da extensão de saúde para melhorar a qualidade do atendimento aos utentes e criar melhores condições aos profissionais”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados