RCB/TuneIn
Sexta, 23 Ago 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
MEDIDAS AVULSO NÃO RESOLVEM OS PROBLEMAS
Rádio Cova da Beira
O desenvolvimento de toda a faixa interior do país não se pode concretizar com a adopção de medidas avulsas e que poucos efeitos práticos trazem para a região ao nível do combate à desertificação e à atracção de investimentos.
Por Nuno Miguel em 22 de Jan de 2019
A ideia deixada em Castelo Branco, durante a convenção da região centro organizada pelo PS no âmbito das próximas eleições europeias, pelo vice reitor da universidade de Aveiro que foi uma das personalidades indicadas pelo governo para fazer parte de um grupo de trabalho transfronteiriço que tem como objectivo apresentar propostas que contribuam para um desenvolvimento sustentável nos dois lados da fronteira.
Anselmo Castro refere que esse trabalho, que resulta da última cimeira ibérico que decorreu em Valladolid, está ainda a dar os primeiros passos mas o importante é sejam apontados caminhos para a adopção de políticas públicas fortes e que invertam o actual contexto “neste momento não vamos lá com pequenas medidas. Diz-se que é preciso atrair investimento. Concerteza. Mas não é possível atrair empresas quando não há lá pessoas para trabalhar. Não é, por muitos incentivos fiscais que se criem, que as empresas vão para lá porque é preciso haver pessoas. E para haver pessoas é preciso serviços e qualidade de vida e é preciso trazer tudo ao mesmo tempo o que torna as coisas muito mais difíceis. Por isso ou há uma política pública forte e integrada ou se vamos primeiro ver o emprego e depois os hospitais é impossível. Não se vai a lado nenhum”.   
O vice reitor da universidade de Aveiro acrescenta que “o lado espanhol tem problemas muito idênticos. É escondido em algumas estatísticas devido à existência de cidades grandes como Valladolid ou Salamanca mas os problemas existem na mesma. Por isso é preciso uma política forte, rápida e uma das missões mais importantes dos futuros deputados europeus será sensibilizar todos para este problema, que os europeus na sua maioria desconhece. Foi nesse sentido que me pediram para ajudar do lado português, estamos a trabalhar e esperamos mostrar resultados o mais depressa possível”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados