RCB/TuneIn
Domingo, 24 Mar 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
ASSOCIAÇÃO 6 DE SETEMBRO RETOMA ACTIVIDADES
Rádio Cova da Beira
No dia em que o comboio intercidades voltou a circular na linha da Beira Baixa com locomotivas e carruagens, ao contrário do que aconteceu nos últimos sete anos, esse serviço foi assegurado por automotoras, a associação da linha dos amigos do caminho- de-ferro retomou as suas actividades.
Por Nuno Miguel em 11 de Dec de 2018

Outras da categoria:

A associação seis de Setembro vai funcionar agora como uma tertúlia de intervenção pública e que saúda a decisão retomada na reposição de material circulante que nunca devia ter saído da linha da Beira Baixa, como refere o porta-voz daquela organização “é um material fiável, muito mais cómodo e seguro, mais rápido, e que nós já tínhamos tido com excelentes prestações de serviços e excelentes resultados demonstrados e nunca entendemos, porque nunca ninguém nos justificou, porque é que esse material foi retirado e foram aqui colocadas automotoras sem um mínimo de dignidade para um serviço de longo curso. Conseguimos agora recuperar um direito que já tivemos no passado e esperamos que aqui se mantenha por muito tempo”.  

 

Neste retomar de actividades o grupo pretende realizar uma intervenção cívica em torno da defesa do caminho-de-ferro e desde já António Pinto Pires chama a atenção para o erro que está a ser cometido nos trabalhos de requalificação do troço entre a Covilhã e a Guarda, onde a substituição do material não foi acompanhada por uma correcção do traçado que permitirá diminuir os tempos de viagem “estranhamos que neste concurso que foi lançado para renovar o traçado até à Guarda não tivessem sido feitas correcções de traçado. Não se teve em conta os erros que foram cometidos quando se fizeram as requalificações na zona sul da linha. Apenas se renovou a linha, colocou-se a catenária, os comboios são eléctricos mas não se corrigiram os traçados. O que isso originou é que o tempo de viagem não foi tão reduzido quanto seria expectável”. 

 

Mas também na zona sul da linha, há várias questões que vão merecer a reivindicação de melhorias por parte do grupo. Desde logo as condições de segurança na circulação à beira rio “nós já advertimos, por diversas vezes, que poderia haver um melhor aproveitamento daquele trajecto se fossem adoptadas soluções onde nos sítios onde a linha apresenta dificuldades orológicas, como é o caso, Há formas de os dotar de meios de segurança. Deixo como exemplo a construção de túneis cegos para que quando há deslizes, que é o grande problema deste tipo de traçados, eles não afectam a linha e o comboio segue o seu percurso normal. Reclamamos, sobretudo para a zona sul da nossa linha, que essas intervenções sejam efectuadas”.   

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados